A menina sem vida – (Parte II)

Padrão

menina sem vida 1

Aquele dia você estava decidida a dar um fim em tudo, pois em seus pensamentos, nada daquilo fazia o menor sentido.

Na verdade, para você nada nunca fez sentido…

As rodinhas de amigos em uma mesa de bar, discutindo questões alheias ao seu entendimento ou interesse.
Os relacionamentos que você não tinha a menor vontade de investir, mas fingia em alguns momentos estar entretida, para tentar tirar o mínimo de satisfação e talvez calar a boca de algumas pessoas, enquanto você apenas se omitia.
A família que nunca pareceu realmente se importar com o seu comportamento desatento, reservado e muitas vezes monossilábico. Família essa que você sempre pensou, como é que vim parar aqui?
Nenhum saco para as competições e rivalidades que pareciam engrandecer o cenário das pessoas que não tinham mais nada além disso para se importarem… A melhor faculdade; o melhor carro; a melhor casa; o melhor marido….
E as discussões religiosas foram substituídas por um ateísmo ensaiado e seguido por frases prontas para responder ao que todos estão acostumados a ouvir. Simplesmente você cansou de tentar convencer ou discutir algo que talvez não tenha relevância para discussões.

E você acabou se esquivando, escondendo…
Se esqueceu de sair do casulo, e perdeu-se no tempo, nos movimentos, no que esperavam para você e para a sua vida.

E esperavam sem ao mínimo lhe perguntar se estes eram realmente os caminhos que você queria seguir.

E o seu silêncio era interpretado com uma simples e crônica timidez.

Mas ninguém nunca, nunca… nunca mesmo…
Chegou e te perguntou o que você queria…
O que você sentia…
Quais eram seus desejos mais íntimos…
E finalmente, o que você realmente queria para sua vida.

E neste movimento de vasculhar os seus caminhos obscuros, que somente eram percorridos por você dentro de uma perspectiva da existência silenciosa, vazia e solitária, você caminhava rumo ao nada.

E neste dia…

Depois de tanto refletir, e não chegar a nenhuma conclusão possível ou real…

Você decidiu.

Era o fim.

To be continue… or not

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s