O flerte

Padrão

morte

Voltamos a flertar uma com a outra
Quantos anos já se passaram desde a última vez
Desde a nossa última vez, não é mesmo?

Me recordo que naquela época
Eu fui atrás de você
Acreditei que você pudesse me dar tudo o que eu almejava
A tranquilidade, a segurança, o lugar ideal
Ideal para o repouso de minha mente, de meu coração despedaçado e do vazio

E você, lentamente se aproximou e me fez promessas que podia me dar tudo o que eu almejava
Mas o mal estar, a insegurança, meu medo de seguir adiante me protegeram

E muito mais que rapidamente, tive a coragem de pedir ajuda para quem poderia me proteger
E essa mão se estendeu em minha direção
E me deu tudo o que eu precisava, com carinho, paciência e acima de tudo fé

E desde então, eu venho me equilibrando entre dias e noites
Realidades e ilusões, verdades e mentiras, sempre este universo ambíguo
Mas acima de tudo… entre claridade e escuridão.

E novamente, neste período…
A escuridão se faz presente em meus pensamentos e em meus sentimentos
E sei que é você, se aproximando lentamente novamente

E me pergunto, o que ainda posso lhe oferecer?
E qual parte da minha obscuridade lhe atrai tanto, para que você queria me ter ao seu lado?

Te peço apenas uma coisa…
Me dê mais tempo.
Apenas isso.
Mais tempo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s