Carta ao passado – I

Padrão

saudade

São Paulo, 29 de janeiro de 2012.

Oi,
Hoje meu coração tá meio apertadinho no meu peito. Sentimento que não sei descrever, mas oscila entre dor, aperto, machucado, batida forte….
Penso em você…. todos os dias da minha vida.
Quando acordo pela manhã me pego pensando se você já chegou ao trabalho e se está bem, se chegou bem, se está bem… se está seguro…. será que está feliz?
Com certeza na mesma correria de sempre, fazendo tudo para dar conta de tudo e no final das contas, poder chegar em casa e dar uma boa descansada no final da tarde, antes que a noite comece e você possa sair para resolver mais coisas, buscar a namorada, passear, curtir…. enfim, levar sua vida adiante.
E meu coração continua batendo na mesma batida de sempre, com você dentro dele, vai e volta, vai e volta e não pára nunca.
Tem dias que dói menos, tem dias que nem consigo existir, pensando, lembrando e tentando encaixar as peças deste quebra cabeça infinito, para minha cabeça…
Quebra cabeça que não tem sentido, mas que só faz existir em minhas lembranças, em minha amargura, em meu amor infinito por você.
Todos os dias me pergunto e refaço cenas que poderiam ter tido um desfecho diferente, se eu tivesse feito só um pouquinho diferente todas as vezes, hoje seria diferente…. Todos os dias carrego esse sentimento no meu peito de que se eu tivesse sido uma pessoa melhor, uma pessoa mais legal, uma pessoa mais disponível, que dissesse sim e não tivesse tanto medo, uma pessoa que pegasse na sua mão e fosse com você para onde tiver que ser, mas não…. sempre não.
E esse sim que está preso na minha garganta e nunca sairá de lá, por que o tempo já passou, muita coisa já passou e eu estou aqui parada no tempo…
Paralisada em todos os finais que existiram e sempre esperando, o telefone, o interfone, o celular, um email… quem sabe no MSN…. Que sabe?
E essas lágrimas que todos os dias eu escondo de mim mesma, e finjo que a vida continua, que está tudo bem e que o passado e tudo mais já era…. Se todos soubessem, mas também não importa, pois seria igual, nós não somos mais as mesmas pessoas.
E me peguei hoje pensando se a gente tivesse uma chance de se reencontrar o que iríamos conversar?
Que máscaras utilizaríamos desta vez? E eu não tenho novidade alguma para contar, por que todos os dias fico esperando você voltar… todos os dias iguais….
E você nunca mais vai cruzar o meu caminho, pois você não é e nunca foi aquele rapaz que esbarrou em mim há dezoito anos atrás…. Hoje você é um homem formado, de opinião, interesses e vida totalmente diferente da minha.
E a minha vida continua aqui, te esperando, mas nunca te dei nada que realmente pudesse fazer valer a pena você estar ao meu lado.
Hoje não sei o que fazer, não sei para onde seguir, sei que tenho que ter fé, acreditar, ser forte, e tudo mais, mas tem dias que é difícil, posso admitir.
E hoje eu sei que estou sozinha, e não sei como reverter isso, sei, mas a incerteza e o medo me assustam absurdamente e se você estivesse ao meu lado, seria diferente e eu poderia ser forte novamente.
Sei que Deus me guarda um futuro absurdamente feliz e próspero e que estou no caminho certo, no caminho da descoberta, do aprimoramento espiritual e quero crescer cada vez mais, mas saber que meu coração se tornou um depósito de passado e de coisas que não me servem de mais nada está me enlouquecendo.
Te amo muito, amo tanto e nada mais disso importa. Não importa para você, por que você tem um amor que hoje lhe oferece tudo o que um dia você esperou e quis de mim e eu não soube lhe dar. Um amor puro, completo e sincero e que hoje você está pronto para receber e dar.
Tudo o que mais desejo nessa vida é que você possa ser feliz, imensamente feliz, que possa amar e ser amado, que possa completar e ser completado, que possa seguir sua vida e ser muito próspero e rico em todos os sentidos que houverem e se fizerem para você.
Posso dizer, que por mais um dia, vou te amor e vou continuar seguindo com a minha vida, até reencontrar o meu caminho e lembrar por que mesmo eu vim para este mundo e quem sabe talvez, um dia poder voltar a amar novamente.
Com lágrimas nos olhos digo isso e com um nó na garganta, lembrando do dia em que nos encontramos no Franz e demos um dos melhores beijos de nossas vidas! Um beijo de saudades, de amor e de imensidão!
Te amo muito!
Te amo muito!
Te amo muito!
Se cuida e seja muito muito muito feliz, pois você merece muito.
Mari

Anúncios

2 comentários sobre “Carta ao passado – I

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s