Mentira e blasfêmias

Padrão

branca-de-neve-33

Me perdoa

Porque um dia eu esperei um príncipe
Montado em seu cavalo
Que viria ma salvar

Dos monstros, dos dragões
Dos perigos e de tudo mais
O que houvesse de ser perigoso

E você chegou
No tempo certo
Com tudo o que poderia
E haveria de me oferecer

Mas esqueci de te avisar
Que o perigo morava em mim
E que tudo o que haveria de ser frágil
Habitava e me preenchia

E fiz você dançar
Sofrer e implorar

Fiz de você o calabouço
Te aprisionei em minhas maldades
E nas querelas da vida

Que eu havia inventado com primazia

Não havia princesa alguma
Não havia mocinha indefesa
Não havia donzela
E ninguém a ser protegida
Muito menos salva

E nas armadilhas da vida
Eu te fiz refém
Te prendi e maltratei

E te difamei
Cuspi e denegri
Fiz sua história
Ao avesso

E como sempre
Princesa fiquei
E deixei você com os restos
Do que eu jamais
Pude oferecer
Para alguém
Nesta vida.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s