4:28h

Padrão

tempo-relogio-universo

Da vida
Que agora é

Do que há
De haver

E agora
Ao redor
Esse vazio

De não ser
Não ter

E do silêncio
Do amor

Que cruzou o caminho
No disparate
Como se fugisse de algo

E me derrubou
Na primeira esquina
Lá atrás

Me tirou da direção
Roubou minha paz
E me deixou

Deixou

Amarga
Vazia
Burra

E nem me deu chance
Para nada

E desde então
Vivo a beira
A sombra

Do tempo
Dos passos
Do compasso

Que alguém
Olhe nos meus olhos
Me estenda a mão
E me indique

Uma nova direção…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s