Partida necessária

Padrão

saudade de casa.jpg

Que lugar é esse
Desse peso que carrego

Na alma
No corpo

Dentro dos meus olhos
Dentro do meu coração

Silencio diante do que se mostra
E me envergonho do que mostro

E assim segue
O dia
A noite
A vida
E o desejo

Mas não
Não há caminho para o fim

E das tentativas de me reencontrar
Me perco
Nas perspectivas
E possibilidades que se apresentam

E me perco
De mim
Do amor
Do que há de melhor

Em mim
E aceito
As migalhas da vida
Que me oferece
Como cortesia
Por eu ser dessa medida
Desmedida sem valor

Do lugar que me propus a ocupar
E aceitar
E fazer disso minha morada
Sem lógica
Sem porta e sem palavras

Dessa desorganização
Destes lugares que aceitei
Me deixei ficar
E fui perdendo
A dignidade, a vontade, o certeza

E nessa dança
Desta tristeza
Que faço questão
De mascarar

Não há mais lugar para ser
E existir
Ter ou ser

Assim
A partir de agora
Não lamentarei meu fim

Lamentarei sim
Não ter matado tudo isso antes
E agora

Aceito
O que há para ser proposto
Da vida que me esperou

E ainda me espera
Sentada nas escadas,
Próximo a porta de entrada
Com um café quente em uma mão
E as passagens sem volta na outra.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s