Face boa e outra face

Padrão

Mascaras_Natalino.jpg

Você chegou
Me cumprimentou como de costume
Me contou tudo
Me confidenciou tudo
Do que era
E do que jamais
Haveria de ser confidenciado
Com palavras ou pensamentos

E eu fiquei lá
Eu estava lá

No final das contas
Eu já fazia parte de tudo aquilo

De lado
Na sala ao lado

Havia a outra
Outra eu
Que estava lá
Prestando atenção a tudo

Do que havia de ser
Do que havia de ter
Do que não havia nada
E não se importava
E que no final das contas

Roía as unhas
Tirava cochilos
Fantasiava o final feliz
Lembrava das contas
Pensava na noite passada
No próximo café
Ou no que houvesse de ser

E lá se escondia
Com sua melhor dissimulação
Sua melhor máscara
Seu melhor sorriso

E torcia
Para que não houvesse
De descobrirem
A sua farsa
A sua mentira
E tudo mais o que não importava

Porque no final das contas
Nem eu e nem ela nos importávamos

Mas o que mesmo não importava mais?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s