Oráculo (ou as grosserias que tenho para te oferecer de graça)

Padrão

oraculo

Tem dias que eu queria só uma ligação
Uma mensagem sua
Ou de quem fosse

Apenas perguntando
Se está tudo bem
Se eu dormi bem
Se preciso de alguma coisa

Daquelas conversas
Que levam horas a fora
Para falar bobagens
Para filosofias ou etc

Mas não
Por algum motivo
Que me leva a pensar
E a penar
Eu escolhi e ofereci isso
E agora pago o preço

Das conversas
Que ao invés de ser
Apenas palavras jogadas ao vento
Virarem profecias
Serem objetos de estudo
Caminhos oferecidos
Certezas consequentes
Felicidade absoluta

E quando
Em uma conversa corriqueira
Respondo
“Sei lá”
Que esse sei lá
Seja apenas o que é

E não a profecia de que eu
Não quero revelar uma desgraça
Que esteja anunciada

E desde quando isso tem que ser assim?
Desde quando as coisas ficaram assim?

Não
Na verdade eu não me importo
Mas por favor
Não esqueça
Nunca

Que eu sou
Assim como você
Como, respiro, penso
(Penso?)
Sinto e me importo
As vezes não me importo

E o que eu tenho
Eu ofereço
Na troca do que você me oferece

E não
Não abuse
Não ouse
Não tenha certeza

Porque a partir de hoje
O que ofereço de graça é
Apenas um “Sei lá”

E se a resposta tiver de ser outra
Sinto muito
Pague o preço.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s