Meu incomodo

Padrão

inferno

A respiração agora é pesada
Em sintonia com o coração
Que bate violentamente
Dentro de meu peito
Que é vazio

E o eco das batidas
Em consonância com o silêncio
Fazem a batida perfeita
O vazio perfeito
O silêncio perfeito

Preenchido pelas batidas
Do meu coração
Que hoje não me pertence mais

Deixei ele para trás há tempos
E não me recordo em qual esquina
Qual pessoa
Ou qual data

E disse adeus
Prevendo o fim
Do que nunca houve de ser

E assim segue a vida
Dos dias e noites
Das repetições do destino
Do que tem que ser feito

E que há muito tempo é

E fico ensaiando minha saída
Silenciosa deste mundo de fantasia
Em que pensam que tudo é perfeito
E nada me falta
E que eu não posso ousar reclamar
Mal dizer ou praguejar

Em que eu não posso respirar
Me apaixonar
Me matar

Sem que haja alguém para dizer
Que independente do que é

Está errado

Errado está há muito tempo
E hoje eu só atravesso
Perpasso a minha existência
Contemplando os gozos alheios
As perspectivas de futuro
De pessoas que sabem seu lugar
Ou o que fazem por aqui

Eu
Eu?
Eu estou por aqui
Estou por ai
Sempre me equilibrando entre dias e noites
Palavras e silêncios
Máscaras de perfeição
E de auto ajuda

Procurando minha saída
A rota perdida
O pote de ouro
O lugar perfeito

Ou
Apenas
O silêncio que me preenche
E acalanta minha alma
Minha vida e meu coração.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s