Por favor… não

Padrão

anjo mau

Ontem a tristeza
Tomou conta da minha alma
Me cercou e não fez cerimônia
Entrou e se serviu
Com tudo o que haveria de ter direito

Entorpecida
Sentada atoa
Alheia
Esvaziada

Embriagada de tantas lágrimas
Me afogando em tanta dor
E os gritos de horror

De repente
Me percebi em mim
Me percebi no lugar

Olhei ao redor
E um sopro no meu ouvido me disse
Venha…

E eu lembrei dessa voz
E desse convite

Eu já estive com você
Em outros tempos
E você era meu amigo
Digo
Você estava sempre ao meu lado

Consegui lembrar
Que foi você que daquela vez
Me levou até aquele lugar
E me ofereceu o que havia de ser

E eu tomei
Uma
Duas
Na terceira
Era certeza que daria certo
Fui salva

E agora
Sua voz volta com a certeza
Me oferecendo novamente
E me dando opções

Pensei

Considerei…

E não consegui ir adiante
Porque eu fiz uma escolha
E uma promessa
E eu não quebro promessas

Suspirei fundo
Agradeci e pedi para você ir embora

Fiquei sozinha no escuro
Triste por não ter ninguém
Mas mais triste
Por não ter nada…

E você ficou
Do outro lado da rua
Me olhando

Eu sei
Você ficou cuidando do meu sonho

Mas te peço
Aqui não há mais
Lugar ou pensamento
Oferta ou troca
Eu não posso
Te dar

O que eu nunca tive
Uma vida…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s