Do telefone que não toca mais

Padrão

Giz - Legiao Urbana2.png

Quase como um mantra
Uma oração preciosa
O momento esperado
Era o mais esperado

E você sempre ligava
Todo dia ligava
Sempre…
Até a bateria do telefone apitar…

E não dava tempo de recarregar
Porque era muita coisa
Muito assunto
Muita novidade
E talvez nem tivesse nada
Mas era você
E era eu
Já bastava

Das palavras que transbordavam
E viravam cartas
Cartas e mais cartas
Palavras e mais palavras
Códigos reais e imaginários

E o telefone continuava tocando
Mesmo quando o que nos uniu
Se foi…

Mas não há de ser nada
A vida segue
E eu aqui
Lembrando que essas coisas
Ficam guardadas na lembrança
Nos cantinhos do coração
Naquele baú de memórias
Que ninguém irá tirar do lugar
Que foi guardado

E esse carinho e respeito
Esse lugar que faz bem
Ficará para sempre aqui
No peito
No altar das melhores amizades
Do tempo que não volta mais

Mas que foi vivido
Do jeito que deu
Do jeito que dava
Mas foi…

E isso
Isso já vale uma vida inteira.

Abriram as portas do inferno

Padrão

coraçao negro

Acordei
Você me mandou mensagem
Logo você
Que nem eu sabia que você sabia
Que eu era eu
Achei apenas que tinha sido
Por educação
Deixar eu fazer parte do que há

Conversamos
E a conversa foi longe
Você me ligou
Meu radar estava certo
Algo estranho estava acontecendo…

Dois dias depois
Como assim?
Recebi outra mensagem
De outra pessoa
Daquelas que são tão absurdas
Que temos medo de estarmos sendo filmados

Deve ser uma piada sádica do Universo
Daquelas que ele manda para testar
Para ver o quanto estamos conscientes
O quanto estamos centrados
O quanto a vida fez a gente aprender

E eu ri alto
Fiquei olhando para o céu
Entendendo que nesta vida
Eu deixei
Eu pedi
De tanto zoar e rir das coisas
Foi a hora da vida rir de mim

Nessa semana
Ela zoou tão profundamente
Que eu fiquei pensando
Quase eu me deixei cair
Quase eu cai na piada

Mas quanta perversidade

Mas não há de ser nada
De perversidade
Eu fui mestre um dia

Não ter uma recaída
Mostra algo incrível….

Meu coração finalmente
Descansa em paz
E não esta mais entre nós.

Entendeu universo?

Que cor eu vou?

Padrão

alergia-esmaltes

Nas pontas dos dedos
Eu me defino
Nas cores que escolho

Semana passada foi cinza
Não mais nas roupas
Apenas nas unhas

Como uma expressão do que havia
De existir na alma

Depois foi para o azul
Escuro
Mas não significava
O que era para ser
Foi apenas por acaso

E neste acaso
A semana toda foi assim
Destes encontros
E tudo era azul
Em todos os lugares
Achei divertido

E hoje
Me segurei para não sair correndo
Ir a loja mais próxima e me jogar
Porque eu queria vermelho
Mas não os vermelhos que eu tenho
Eu queria um vermelho
Que já está guardado

Respirei fundo
Me fiz de besta
Como se enganasse uma criança

E passei rosa
Nunca passei rosa antes
Eu não sou uma menina de rosa

Na verdade eu não tinha me dado conta
De ser uma menina

E dormi em cima da cor

Amassei o rosa
Mas fiquei pensando
Que essa é minha expressão
A minha forma de autorizar
De aceitar e talvez reverenciar

A parte menina
Que deixada de lado ficou
Por muito tempo

Mas educadamente eu peço
Venha
Eu cuidarei bem de você…

Das palavras e escolhas

Padrão

chave

Eu só precisava saber o que dizer
Ou saber exatamente
Apenas exatamente
O que fazer

Daqueles dias que contamos
Regressivamente
Ansiosamente
No calendário

E chegou
Agora eu fico olhando para as paredes
Sentindo o coração bater forte

Mas nada
Nenhum movimento
Nenhuma palavra
Nenhuma intenção

Apenas fico olhando
Parada o dia que chegou de presente
E não tenho a menor idéia do que fazer
Com ele e com a minha vida nele

E o dia lá fora está tão lindo
Daqueles muito mais bonitos que os sonhados
Mas simplesmente não acontece
Não vai
Não liga

E daqui eu fico
Esperando que um milagre venha dos céus
E me tire desse entorpecimento
Dessa anestesia
Dese lugar de não existir
E não saber executar o desejo

Hoje

Talvez
Eu me obrigue e sair
Talvez eu consiga dessa vez…

Faça seu pedido

Padrão

luz.jpgOlhar para o céu
E me dar conta do infinito
Da beleza que o céu
O azul e seu infinito

O sol também está lá
Fazendo toda a diferença
Na vida que se oferece hoje
Diferente da vida que foi ontem
E sem possibilidade de comparações
Com o que será ofertado amanhã

E hoje eu só agradeço
Que a vida é plena
As perspectivas infinitas
E o desejo de viver
Pleno e intenso
Pelo que pode ser
E já é no dia de hoje

Daqueles dias
Que apenas o sol
É capaz de oferecer tudo
Significar tudo
Da vida que é

Do que é e sempre será
Meu!

Drogas novamente

Padrão

drogas

A vida ficou tão estranha esses dias
Não sei dizer ao certo quando foi
Antes ou depois
Das drogas

Mas elas só vieram
Porque eu não dei conta

E a explosão foi grande
A tremor foi profundo
E trouxe a tona o que havia
De ser esquecido
Porque eu queria esquecer

Mas um dia
Quando não colocamos o lixo para fora
Ele irá nos lembrar que ainda está lá
E não sairá de lá
Até que nos movimentemos
E façamos a nossa parte

E eu deixe esse lixo
Todo crescer e ganhar forma
Força e voz
E ele gritou alto
Me fazendo tremer na base
Me tirando da direção
Que eu achei que era certa

De repente
Deixei ele lá
Porque eu queria
Que ele me lembrasse
E me tirasse
Do lugar que eu fingi escolher
Mas na verdade
Fui

Fui
Sem opção
Sem vontade
Sem querer
Sem tentar

Sem outra rota de futa

E fiquei
Parada
Paralisada
Mumificada
Esquecida de mim
De meus desejos
De meus interesses
E quase virei o lixo

Revirei o lixo de mim
Do meu lixo
E virei um só

Agora
Agora as drogas me dão
O que eu tinha que ter feito
O que eu havia de ter me dado
O que eu nunca havia de ter me deixado

Um sentido…