Eu sabia

Padrão

rota

Como é que pode ser tudo isso afinal?
Do frio que congelou meu corpo
Quando eu me dei conta
Que eu falei demais

Até agora
Voltando e revoltando
Lembrando e relembrando
Repassando a cena
Lembrando minuto a minuto
Quase com Close caption

Falhei

Mas já tinha tanta mentira no ar
E as palavras não eram mais ouvidas
E nas explicações do que era dito
Do que não fazia sentido algum

De se tentar provar o que é falho
De amenizar o que já está estragado
De tentar amar o que foi roubado

Nesse lugar
Eu sem querer fui colocada
E me deixei levar
E me deixei ficar
E achei que dava conta

Não dava
Porque essa conta não existe
E essa conta não fecha
Não fechará nunca

E agora
Me peguei com uma chave na mão
Mas eu nunca peguei ela para mim
Não sou eu a dona desse mistério
Não serei eu a revelar

Mesmo que meus atos falhos
Queiram me entregar

E me dei conta
Que a angústia é só minha
E deste lugar
Não haverá de brotar nada
Até que eu me “Descoloque”
“Desencaixe” e deixe de desejar
O que nunca foi meu
Por direito
Ou por querer.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s