Escondido como sempre

Padrão

escondido

Outro dia

Eu te vi

Escondido nas brechas

Frestas

Passagens

No subsolo

Do meu coração

Te vi

Veio me visitar

Escondido como sempre

O que é

Só há de ser

No escuro

Onde

Ninguem nos veja

Ninguem saiba

Ninguem descubra

E só assim

Pode haver nós

Só assim há

Nosso amor

Anúncios

Sem os remédios

Padrão

tristeza2

Sem remédios há mais de um mês

Sem eles eu sou assim

E consigo acessar o universo

Das palavras que doem

Do que não pode ser dito

Quando as drogas circulam

Livremente e alegremente

Dentro de mim…

Elas trazem as cores

Da vida que queria ser vivida

Mas as palavras ficam trancadas

E eu fico me equilibrando

Tentando entender o que é

O que não pode ser

E o que não sera para ser jamais

Talvez seja apenas isso

Ser triste é o que é

Ser triste é o que eu tenho

De mais criativo em mim…

Então

Por enquanto,

Eu vou fingir que está tudo bem

E escrever

Até quando ficar insuportável

E a dor pedir elas de volta

Então

Escolherei o silêncio

E ficarei alheia

Ao que é…

Mas o que é tudo isso mesmo?

Seu caminho está aqui

Padrão

trem

Abriram a porta
Mandaram descer
Com as malas
O vestidinho
E os sapatos

Ganhou um beijo
E um até breve

Sem se dar conta
Com o movimento
O trem partiu
Você ficou

E desde então
Espera
A volta

O dia
Que será
Breve

Do retorno
Ao lar
Ou
Ao que era
E fazia sentido

Agora
O tempo passa
Parece perdido
Sem sentido

E você sabe
Já tentou atalhos

Mas sabe
Que eles não
Te levam para lá
Nunca mais

Então
Hoje
Te peço

Não se preocupe

Eles vão te encontrar
Quando você
Se encontrar.

O dia que eu morri

Padrão

morte

Quanto tempo foi?

Que eu deixei você?

Sai
Larguei tudo para trás

Nao fiz mala
Larguei discos
Cartas
Lembranças
Histórias

Larguei você…

Da vergonha
Que sangrou
Quando os olhares
Me contaram
O que eu não vi

Porque estava presa
Porque estava apaixonada
Porque estava cega

Eu nem sabia
Nunca passou pela cabeça
Que isso existia

E senti
A lâmina atravessar
Meu peito
Atingir em cheio
Meu coração

Naquele dia
Eu cai
Sangrei

Morri…

E na morte
Esqueci de te buscar
Para partir comigo

Deixei você só

Hoje
Volto

Hoje
Te estendo
A mão

Venha comigo

Não tenha medo

Aqui
Você está a salvo
Aqui
Há luz
Aqui
Eu posso
Te dar
E devolver

Vem
Comigo
Meu amor

Eu nunca mais
Deixarei você.

Não vou mais te atender

Padrão

porta trancada

Eu nunca te agradeci
Quando você veio
Chegou
Aconchegou
Fez morada

Mas quis mais
E nunca te ofereci
O que você merecia

Porque sabia
Da verdade
Que todo mundo sabia
Guardou
E riu
Como
Obviamente
Achava
Que eu sabia

E no fim
Pediu para ocupar o lugar
Do inocupável
Me pediu
O “impedível!
E maltratou
O “inimaltratável”….

Tudo bem

Hoje
Você chama
E até hoje
Espero
Que você me diga
Era mentira
Você quer uma nova chance?

Mas tudo bem
Hoje
Está tudo bem
Mas

Por favor
Não me ligue mais.