Vazio nós

Padrão

vazionos
Prometi
Acreditei
Diz que sim
Comecei
Fui um pouco
Foi ao meio
Mas deixei

Deixei sempre
Essa sempre foi
A verdade
O lugar
A certeza…

Deixei
De mim
O que era seu
O que eu acreditei
Que deveria
Poderia
Haveria

Parti
Em mim
De mim
O que eu não sei
Para onde não foi

Sempre
Esperando
O lugar
O olhar
A aprovação
A palavra

Descobri
Que promessas repetidas
Não mudam direções
Não mudam vidas
Não são nada
Apenas
São vazias

Dessa vida
Que agora é essa
Deste lugar
Vazio…

Anúncios

Fugir de você… fugir de mim…

Padrão

fugir
Não
É isso mesmo
Deste lugar
Do silêncio
Do dia que veio aqui
E foi embora
Do mesmo jeito
Que chegou

Já sabe
Teve que fugir
Porque eu não mais
Posso te oferecer
O que você disse oferecer

O que você fingia
E eu acreditava

Do que eu fingia
E você acreditava

Da última vez
Só faltou deixar
O dinheiro no criado
E bater a porta
Ao sair

Mas não deixou nada
Levou tudo

Não deixou nada
Não levou tudo

Levou o que?
Se nunca teve nada…

E agora

Das palavras
Que respingam
Dos sentidos
Que nunca fizeram

Eu acreditei
Fingi que ia bem
Que estava tudo bem

Você foi
Partido
Partiu

Sangrou

E hoje entendi
Que não era de mim

Pressentindo
O fim…

Você foi
Não olhou para trás

Mas pensando bem
Eu também
Não olharia…

Demorei para entender

Padrão

coração partido

Vem

Me dá

O que você quer

 

Me dá

O que você finge

Querer dar

 

Me diz

O que sempre diz

E eu ouço

Acredito

 

Quando percebe

Que algo é

Ou algo foi

Ou não foi

 

Não tenho coragem

Olho e provoco

Digo sem dizer

 

Acabou

 

Não te quero mais

Não é ausência

Sem motivo…

 

É ausência

Sentida…

 

Do sentido que um dia eu quis

Acreditei de verdade

Que poderia ser

 

Esqueci

Que nunca houve

 

Sempre eu te amo

Para outro alguém

Eu ouvindo as histórias

Todas…

De todas…

 

E que sempre cabe mais um…

Ou que você sempre espera

Para a próxima

O amor perfeito

 

Mas eu entendi

Que eu sou

Apenas a passagem

O lugar

De espera

 

Que nunca fica

Sempre passa

 

E agora eu escolho

Partir

 

Você já partiu

Então

Eu parto

De mim

De nós

Do que nunca será

Meu bem…

São para você 

Padrão

voce.png

Escrevo
Estas palavras
Todo dia
Essas palavras

Esperando
Fingindo
Acreditando
Desejando
Evitando

Mas no fundo
Sim….

São para você

Que pode decifrar
O segredo
O não dito
O encoberto

Dos rastros
Da lógica

Da falta que há em mim
Por você

Imagino
Você lendo
Se dando conta
Do que é obvio

São suas
Minhas palavras
Meu tempo
Meu coração
Meu respirar
Minha vida…

Mas
Não custa
Enlouquecer
Todo dia mais

De esperar
Acreditar
Que agora você sabe
Agora você entende
Agora você consegue

Você finalmente
Aceita meu amor
Por você

Pode entrar

Padrão

podeentrar

Te esperei
Fingi que não
Que era normal
Um dia qualquer

Você disfarçou
Também era igual

Não acreditava
Na sorte grande
Daquelas que nunca batem
Na nossa porta

Achou que era um engano
Uma maldade
Um desencaixe

Mas depois
Se deu conta
Que era verdade

Te esperei
Não uma vida
Mas algumas decepções
Me fizeram desacreditar
Nem mais ousar
Desejar
O que há para a vida
Lá fora

Mas você aceitou
Anotou telefone
Confirmou endereço
Aceitou o convite

Pode subir
Seja bem vindo
Eu vejo você

Você me vê
Você me ouve
Você entende
Você  respeita
Você  aceita

Eu te aceito também.

Eu acredito

Padrão

amor amizade
Estava pensando
Você me dá tanto
Mais do que eu consigo explicar

Mais as vezes

Acho que por isso
Demoro tanto para voltar

Porque eu preciso de tempo
Mas também
Porque a gente é assim

Vai e volta
Vem e vai

Mas no nosso tempo

É tanto encaixe
Tanta verdade
Tanta reflexão

Que para isso
Precisa mesmo de tempo

Mas sempre é
Uma surpresa
Um presente

Um encontro
Daqueles
Para mim
Com o meu ídolo

Que eu disfarço
Finjo que está tudo bem
Que é normal
Mas fico pensando
“É de verdade mesmo?
“Me belisca, que é um sonho”

Mas de sonho
Virou realidade

E mesmo na minha ausência
No meu silêncio
Na minha distância

Nunca
Esqueço de você
Do que é
Do que me deu
Do que me dá…

Sabe quando você disse de missão
Do que é o que veio fazer nessa vida?

Pois é
Te conhecer
E aprender
Já fez parte da vida valer a pena

E ainda tenho esse sonho
Quase uma obsessão
Te você
É aquele sonho
Que eu não me canso de querer

Mas eu disfarço
Finjo que está tudo bem
Que é normal
Mas fico pensando
“É de verdade mesmo?
“Me belisca, que é um sonho”

Eu não desisto

Até o dia que você finalmente
Responder….

Que cor eu vou?

Padrão

alergia-esmaltes

Nas pontas dos dedos
Eu me defino
Nas cores que escolho

Semana passada foi cinza
Não mais nas roupas
Apenas nas unhas

Como uma expressão do que havia
De existir na alma

Depois foi para o azul
Escuro
Mas não significava
O que era para ser
Foi apenas por acaso

E neste acaso
A semana toda foi assim
Destes encontros
E tudo era azul
Em todos os lugares
Achei divertido

E hoje
Me segurei para não sair correndo
Ir a loja mais próxima e me jogar
Porque eu queria vermelho
Mas não os vermelhos que eu tenho
Eu queria um vermelho
Que já está guardado

Respirei fundo
Me fiz de besta
Como se enganasse uma criança

E passei rosa
Nunca passei rosa antes
Eu não sou uma menina de rosa

Na verdade eu não tinha me dado conta
De ser uma menina

E dormi em cima da cor

Amassei o rosa
Mas fiquei pensando
Que essa é minha expressão
A minha forma de autorizar
De aceitar e talvez reverenciar

A parte menina
Que deixada de lado ficou
Por muito tempo

Mas educadamente eu peço
Venha
Eu cuidarei bem de você…