Toca Raul

Padrão

TOCA RAUL

Agora é nossa vez…

Anúncios

Me preparei a vida toda

Padrão

fimOuço todos os dias
O que vai nos corações
Dos segredos
Dos devaneios
Dos desabafos
Das resoluções
E decisões…

De repente
Me pego
Diante
Do meu maior algoz

O tempo
Me pregou uma peça

Não tem graça

Me anestesie
A vida toda
Para isso

Como se fosse óbvio
Como se fosse cortar
Como se fosse matar

E mata…

De repente

Me vejo
Limitada
No sentir
No escutar
No oferecer
No acolher

De mim mesma
No que é hipótese
Mas não costuma errar

Do que é silêncio em um
Transborda no outro
O que cala
Mas fere na profundidade
Exata do que é

Agora
O tempo será o mensageiro
Do que é
Do que há
Do que está reservado
Deste o dia
Que foi plantado

Daqueles finais
Que não queremos

Mas…
Nem tudo pode ser
Resinificado, não é mesmo?

Você nem sabe

Padrão

acabouEscolhi te ignorar
Definitivamente
Te excluir da vida
Ou do que era
Ou do que houve

De ficar te esperando
De fingir que não entendi
De achar que era certo

Cansei
Da minha esperteza
Em fingir
Que acreditava
Que você se importava

De repente
Falar com você
Cansou

De repente
Falar com você
Dá preguiça

Te ouvir
E fingir que me importo

Você já percebeu
Que é o fim
Mas que fim?
Do que nunca foi

Cansei de suas palavras
Da sua inteligência
Da sua importância
Do que você supostamente
Achava que me dava

Agora
Eu só tenho tempo
Para o que importa

E esse tempo
Não é mais seu…

Presa no pesadelo

Padrão

pesadelo1
Hoje eu sonhei
Como se estivesse presa
Fugindo no tempo
Escapando de algo
Me mudando de vez
Deixando as coisas para trás…

De repente
Peguei coisas
Joguei outras fora…

Lembrei
De ter mexido no armário
E encontrando coisas
Não sabia de quem…

E tudo ficou misturado
Com a revelação do dia
Da notícia
Que veio para devastar
E quebrar mais uma vez
Meu coração…

E a música tocava
No sonho
Como se fosse verdade
A realidade do dia
Se misturava com a saudade
De rasgava
No sonho…

Acordei
Da noite que não dormi

Agora
Fico aqui
Na dúvida
Se choro
Se rezo
Se durmo
Ou
Se desisto de novo
Mais uma vez
De tudo….

Acho que é só cansaço

Padrão

game
Olho ao redor

E vejo um monte de coisas para fazer

Posso arrumar afazeres
Ou distrações
No estalar dos dedos

Mas é como se de repente

Algo tivesse perdido o sentido

E me lembro de você
Das nossas conversas
Do que um dia foi
Do que um dia eu achei que era
Do que um dia eu quis que fosse
E do que na realidade era

Nada disso se encontra
Lá no final da túnel
Ou no final das contas

É tudo isso mesmo…

Eu fingia que acreditava
Você se esforçava para suportar

E acho que você foi sincero
Mas eu não escutei

Tudo não passada de nada mesmo, não é mesmo?

Meu engano

Padrão

amor-dependencia-algemas

Onde você chegava
Encantava
Hipnotizava
Silenciava
Paralisava

Deixava as pessoas
Assoberbadas….

Eu
Eu ria
De tudo isso
E me envaidecia
Achava tudo isso
Incrível

Depois
Isso se voltou
Contra mim

E eu queria
Isso para mim

Te controlei
Maltratei
Humilhei
Vilipendiei
Fui longe demais

Controlando
O intangível
Inacessível
Inviolável
O incontrolável

E você
Ja tinha
Feito o mesmo
Comigo

Onde você chegava
Encantava
Hipnotizava
Silenciava
Paralisava

Deixava as pessoas
Assoberbadas….

Essa era eu

Caindo na armadilha

Que eu havia percebido

Mas nunca imaginei
Que já estava nela

E sem me dar conta
As pessoas
Olhavam
Era para mim….

Tão estranho

Padrão

saudades
Como é que pode ser isso
Dessa saudade
Que resolveu rasgar
Agoniar
Gritar
Fazer bagunça
No meu coração

Eu até estava indo
Não sei para onde
Mas estava

E de repente
Você volta
Do nada
Reivindicando seus direitos
Seu lugar
Seu amor

Mas você fez bagunça
E acabou com tudo
Antes mesmo de ter certeza

Mas para mim
Eu já estava no para sempre
Até o fim…

E sem querer
Não tinha me dado conta
Que a certeza
Era o meu fim…