Não, né?

Padrão

black heard
Não é para esperar nada

De você eu já sei o que vai ser

Dessa história
Eu queria
Mas demorei para entender
Que eu queria colocar a história
Na pessoa errada

Porque você não é
Nunca foi
Nunca vai ser
Porque simplesmente
É pouco

Eu finjo que não sei
Que não vejo
Não me importo

Mas na verdade
Eu não quero

Porque é pouco

A sua ganância é falta
A sua reclamação é chata
Sua discussão e certeza
São furadas

E eu finjo
Que não vejo
E que me importo

Me importei sim
Acreditei sim
Quis para valer
Sim…

Mas você
Me deu pouco
E agora
Eu me dei conta
Você me deu tudo
E o seu tudo
É pouco demais
Para mim…

Amor – II

Padrão

oiamor

Você nunca soube
E nunca vai saber

Mas eu um dia pensei que talvez
Das mensagens que você mandava
De “bom dia”

Quando você aparecia do nada
E os olhares se cruzavam
Eu me sentia uma adolescente

E nunca consegui entender
Como é que isso chegou a acontecer

Mas quem disse que precisa ter sentido?

Com o tempo
Acabei me afastando
Reticente
Não sou dessas
Respeito o que há de ser respeitado

Deixei o tempo passar

Mas de alguma maneira
Mesmo que pouco
Considerei alguma possibilidade

E inventei mil desculpas
Para nunca dar certo

Com o passar do tempo
A razão voltou a imperar
E tomar conta do que nunca houve de ser

Com o passar do tempo
Você volta a me procurar

Me pergunto do que se trata tudo isso

Pergunto a Freud, Lacan e seus amigos
Pergunto a minha fé
Me perco nas interpretações

Me contento com a resposta
E já sei que nesta vida
Só haverá de existir
Desejo e ilusão
Tudo no mesmo lugar

Respiro fundo
E me deixo contentar
Para que o coração não morra
Do que nunca poderá ser.

Amor

Padrão

amor1

Oi
Você nunca soube e nunca vai saber
Um dia eu te escolhi
Quis querer te

Dos olhares que se cruzaram
E da estranha sensação
De que um dia
Já houve nós dois

Daquelas certezas
Que não se explicam
Das coisas que a vida oferece
E a gente só pode agradecer

Da sua presença
Do seu sorriso
Do lugar que você ocupa
Em sí e na vida

Da leveza que existe
Quando você se faz presente

Do seu sorriso
O sorriso mais lindo
Do seu abraço
O melhor abraço

Das suas palavras
Que são enigmas
Que finjo não entender
Para deixar a conversa nos levar

Mas finjo não entender
Que você quer algo
Que não sei se poderei oferecer
Porque desta condição
Eu me recuso a pertencer

Então
Finjo não saber
Finjo não entender
Finjo não perceber

Dessa loucura
Me equilibro
E você acredita

Mas se não fosse assim
Eu prometo que aceitaria
Eu prometo que sim

Sim
Eu te daria meu mundo
Em troca do seu.

Tenha fé

Padrão

realeza

Seus olhos com lágrimas
Se esforçando para não chorar
Como se fosse um desafio maior
Ser forte acima de tudo

E quando você me disse
Que queria tanto
Sabia bem o que queria

Por um instante
Olhou para o chão e recuou
Dizendo que talvez…

E me fez pensar
Que não existem histórias erradas
Nem os tropeços são errados

E quando você lá atrás
Teve de recalcular a rota
E acabou se sentindo mal porque a vida
Criou novas alternativas

E você disse que talvez pudesse ser evitado

Mas já tinha tanta coisa para ser evitada
Segurando a barra da vida dos outros
E sendo a fortaleza do mundo lá fora

A vida te deu
O presente que faltava
Te colocou no lugar certo

E você mesma disse
Não há vida depois disso…

Então a verdade e a certeza é essa
De ganhar o presente que veio
De conhecer novos caminhos
E a certeza era essa

Quase um tombo
Mas que te fez levantar
No lugar certo
Na vida certa
Encaixada onde sempre foi o lugar certo

O lugar do amor!

Você pediu

Padrão

fim-1

Eu fiz tanta força
Sem saber
Que eu estava
Perdendo tempo

Eu fiz tanta gentileza
Porque achei
Que era assim

No final das contas
Eu menti
E nem sabia que era
Ou se tratava disso

Eu menti
Menti despretensiosamente
Descaradamente
Absurdamente

Para mim
Sobre você

Quando a história toda
Era a verdade
Do que você me mostrou
Ou do que eu percebi

Mas eu queria ver
Só o que eu queria ver

E você
Disse
As palavras mágicas

Do que eu não sabia
Que eu já sabia
E que eu achava
Que podia mudar
Ou podia fazer
Diferente

E depois desse dia

O seu sim
Me fez não

O seu sim
Me tornou fim

E sem você perceber
Eu parti

Para nunca mais voltar.

Para uma princesa

Padrão

coroa

Aquele dia de começar
De entrar no lugar novo e desejado
Você me recebeu
Abriu as portas para mim
E deixou eu entrar

Mesmo desconfiada
Você deixou eu entrar
E me ensinou do A ao Z

Mas me ensinou o que ninguém um dia ousou
Me deu sua amizade
Uma parte de seu coração
Seu melhor sorriso

Das palavras que você me ofereceu lá atrás
Do conforto em manter tudo sob controle
E de ter todas as respostas na ponta da língua

E hoje
Resumiu sua história de vida
Em um tempo de um almoço

Me ofereceu
Novamente o que só você sabe
Mas a emoção disso que não é explicado
Dessa sintonia que sempre houve
Sem nunca nenhuma palavra ter sido dita

E hoje
Eu
A pessoa das palavras
Ficou sem elas

Fiquei sem palavras
Diante do seus olhos marejados
Da expressão de felicidade
Da alegria e da certeza
Que sim…

Nesta vida
Em outras vidas
Nesta lugar
E em outros lugares

Voltaremos a nos encontrar
Mesmo distantes
Mesmo ausentes
Mesmo com vidas opostas

O nosso caminho
É essa conexão de sentimentos
Essa cumplicidade
Essa comunhão
Essa explicação sem palavras

Porque é amor
É amizade
É verdade e certeza…

E me resta apenas
Agradecer…
A única palavra que me resta: Agradecer!