(2009) – Olha o que eu achei

Padrão

amor voc~e

E não eh que ontem tivemos uma recaída…
Um encontro… Um momento doce, sereno, intenso e colorido…
Um momento de viver o que era mais delicioso e intenso do encontro…
O gosto, o toque, o calor… Até mesmo por um instante resgatei um rememorei um porto seguro que um dia acreditei ter em teus braços e em sua companhia.
Posso dizer que foi muito bom estar ao seu lado e pela primeira vez na vida: não esperar o dia de amanhã, não desejar que tudo fosse para sempre, que você seria meu, que você seria fiel… Que o passado se apagaria como que um encanto.
Não… Hoje o dia foi real… O passado foi real e passou… Ontem foi real e passou…
Mas me fez imensamente feliz estar por mais uma vez em seus braços.
Braços esses reais, sem véus, sem expectativas e sem fantasias… Apenas seu beijo, braços, toque, gosto reais… Por que só isso ficou… Ainda bem!!!!

 

Anúncios

Dois anos

Padrão

foto-2-anos

O blog começou com uma brincadeira, uma maneira de escrever sobre coisas que eu gostava, que eu queria expressar, que precisavam ter sentido ou dar sentido para mim.

Hoje, já são quase seiscentos textos publicados, falando sobre as loucuras de ser a pessoa que eu sou.

Dando vazão, acolhendo, resgatando, fazendo sentido, dando sentido…

Palavras amigas, palavras queridas, meu porto seguro, meu lugar predileto no mundo.

Das palavras que saltitam, multiplicam, silenciam e dão a exata medida do que eu sou na vida, nos caminhos do meu coração.

E hoje é mais um dia de celebrar.

Dois anos de blog, dois anos de vida, dois anos de um dos meus lugares prediletos no mundo.

A meus amigos, obrigada.

Aos seguidores, obrigada.

Aos curiosos silenciosos, obrigada.

Aos que leem e nada dizem, obrigada.

Aos que odeiam, obrigada.

A menina que começou a ler desde pequena e escolheu as palavras como companhia: Muito obrigada.

 

Amor

Padrão

amor1

Oi
Você nunca soube e nunca vai saber
Um dia eu te escolhi
Quis querer te

Dos olhares que se cruzaram
E da estranha sensação
De que um dia
Já houve nós dois

Daquelas certezas
Que não se explicam
Das coisas que a vida oferece
E a gente só pode agradecer

Da sua presença
Do seu sorriso
Do lugar que você ocupa
Em sí e na vida

Da leveza que existe
Quando você se faz presente

Do seu sorriso
O sorriso mais lindo
Do seu abraço
O melhor abraço

Das suas palavras
Que são enigmas
Que finjo não entender
Para deixar a conversa nos levar

Mas finjo não entender
Que você quer algo
Que não sei se poderei oferecer
Porque desta condição
Eu me recuso a pertencer

Então
Finjo não saber
Finjo não entender
Finjo não perceber

Dessa loucura
Me equilibro
E você acredita

Mas se não fosse assim
Eu prometo que aceitaria
Eu prometo que sim

Sim
Eu te daria meu mundo
Em troca do seu.

Triste

Padrão

Triste-Poeta

Hoje eu acordei triste
Não mais triste do que normalmente
Hoje eu parei e dei uma chance para ela
E encarei no espelho

Perguntei do que se tratava tudo isso
E ela ficou me observando como se tivesse o poder de me desconcertar
Mas eu não dei a mínima

Respirei fundo
Olhei ao redor e senti o vento frio
A estação está mudando
Outono dando as caras por aqui

Meu corpo pesado
Meus sentimentos todos misturados
Meus pensamentos por ai indo e vindo
E essa sensação de estar alheia a vida

Mas nestes dias eu não discordo
Não brigo, não discuto
Eu aceito

Se hoje você quer fazer morada dentro de mim
Faça

E eu te celebrarei e aceitarei
E faremos companhia uma a outra

E eu te abracarei e acolherei e te darei uma chance.