Por que acreditei?

Padrão

morDa vida

As palavras

Organizo
Considero
Interpreto
Ajudo

Do lugar delas
Uma nova ordem
Um novo sentido
Uma nova perspetiva
Novas possibilidades

Mas aqui
Me perdi

Esqueci
Desliguei
Esquivei
Falhei

Deixei passar

Ouvi no lugar errado
Reconfigurei a rota
O sistema falhou

Perdi…

Você me deu algo
Eu cansei de tentar
Interpretar
Seguir
Colocar no lugar

Mas o problema
Foi não perceber

Que não tinha lugar
Não tinha motivo
Não tinha sentido

No final das contas

Tudo se tratava de mim
Não é mesmo?

Sem lugar
Não tem o que se fazer…

Anúncios

A mala é minha, né?

Padrão

fimsim

Do que adianta
Você quer saber
Mas isso é só vaidade

Não quer saber
De verdade
Só quer manter

Mas nem é mais
Não tem mais
Só é
O que sempre foi

Para mim
Demorou
Um tempão para entender
Que nunca foi

Eu lia
O que nunca foi escrito
O que você nunca disse
Nunca vai dizer

Tudo bem
A mala lá fora
Você me esperava

Mas entendi
Não era você quem iria partir
Não é mesmo?

Sério

Padrão

eclipse

Hoje o dia não amanheceu
O sol não veio dizer bom dia

A vida esqueceu de vir

Ontem ficou preso
Está aqui para sempre
Entre nós

O dia de hoje não chegou

Esqueceu de vir
Esqueceu que tinha que vir

Talvez tenha ficado por lá
Sabendo que hoje não faria sentido
Hoje não teria lugar
Não teria por quê…

Talvez tenha percebido
Que há tempos não é
Então um dia a mas ou um dia a menos
Tanto faz

A vida não é vivida mais mesmo
Então
Um dia a mais ou um dia a menos

Que diferença faz?

Divã

Padrão

divã

Cansada
Como há muito não estava

Mas o cansaço hoje
É um cansaço bom

Porque eu fiz uma escolha
E essa escolha me leva
Para lugares
Caminhos
Histórias
Pessoas
Que eu nunca imaginaria

De poder oferecer
O que é algo tão básico
Essencial
Mas no meu caso
É o meu mais sincero
E melhor lado

Eu ouço
Cada história
Com cada detalhe

Me pego nas imagens
Que as frases
As histórias
Assim como risadas
E lágrimas
Transbordam

Mas hoje
Eu estou cansada
Só porque o corpo
Precisa dormir
Descansar

E não por que me cansei

Um dia
A vida me mudou de lugar
Fechou uma porta

Mas hoje
Eu entendo
Ela me deu
O jardim mais bonito
O meu jardim

Onde posso plantar
Adubar, cuidar
Oferecendo só o que eu sei
Amor…

Nunca conseguirei

Padrão

jardim
Eu sempre tento

Da experiência
Transformar em palavras
Para eternizar
O que é nossa vida
Na verdade
O que eu sou
Com você

Dessa experiência
Que eu tenho
De você…

Nunca saberei
O que é a sua experiência
De mim…

Mas você sempre volta
Então posso entender
Supor
Ou querer interpretar

Na verdade
De querer ter um sentido

Como se houvesse de haver um
Para que as coisas ficassem
Eternizadas….

Mas eternizar
O momento
Me parece ser
Algo desonesto
Demais
Para o que é
A grandiosidade
Do que é…

Mas enquanto isso
Eu fico repassando a cena
O momento
Querendo sentir de novo
O que é impossível

Me parece
Que esse é o lugar…

Querer eternizar
O que foi
Ao invés
De apenas deixar
Ser…

A lua e eu

Padrão

lua

Teu silêncio chegou aqui
E me fez pensar
Em tudo o que houve
Na minha falta
Na tua ausência

E no telefone que não tocou
Das palavras que não chegaram
De você me chamar para ficar
Ou para passar
Para ser
Ter
Ver
Querer

Te
Ver
Querer

De nada

Nada disso

Porque não houve
E o silêncio
Das tuas palavras

Me fez pensar
No silêncio que me dei
Me fiz
Me permiti

Do lugar que não ocupo
Não ocuparei
Na sua vida

Mas mais ainda
Na minha vida

Esse silêncio ecoando
Aqui dentro
Do meu vazio
Que você deixou

E no meio dessa noite
Silenciosa
Barulhenta
Do tic tac do relógio
Dos automóveis na rua
Das estrelas lá em cima

E da Lua
Ela me entende
Na solidão
Da sua presença
No vazio

No vazio das palavras
Que ecoam nessa noite estrelada.