O dia que as palavras engasgaram

Padrão

tombo

Tropecei
Cai de cara

Acho que ninguém percebeu

Todos estavam cansados
Todos falavam ao mesmo tempo
Todos se mostravam e não se ouviam
Todos queriam ir embora

Mas eu lá
Tentando engolir as palavras
Que eu mesma havia dito

Como foi mesmo que eu fiz isso?

Do que os outros falavam
Me perdi no que era mentido
No que era dito
No que era

Me perdi
No desejo
Do meu desejo
Do que não era real

Tropecei nas palavras
E falei

Não falei nada demais
Mas falei o que não era
Do explicar o que não tinha explicação

Pensando agora
Se me faço de louca
Se finjo que nunca aconteceu
Se o roxo no olho foi um cisco que entrou
Se a cara inchada é de um resfriado

Não sei ser assim
Agora minha consciência me condena
Minha moral me massacra

E já sei que dormir
Hoje, como prêmio de participação
Terei de presente
Da minha mente e da minha consciência
Os requintes desta queda
Visto de todos os ângulos possíveis
Com direito a replay
Narração
Close caption
Tradução em três idiomas distintos
Entrada ao vivo do grupo de operações especiais da policia para descrever a cena
E participação especial de diversos fantasminhas
Que ficarão comigo até o dia amanhecer…

Será que demora muito para isso acontecer?

Anúncios

Assombros da vida real

Padrão

encaixe

Dois dias assim
De ressaca
Deslocada
Atrasada

Devo ter voltando correndo
Do mundo dos sonhos
De onde nos perdemos durante a noite
E vaguei

Na hora de voltar
Perdi o trem?
Perdi o tempo?
Perdi o que?

E assim foi o dia todo
Nesse tentar entender
O que não fazia sentido

Como se eu estivesse vivendo outra vida
Outra pessoa
Outro lugar

Na verdade
Bem desencaixada mesmo

E voltando para casa
Ouvi uma música triste

E tudo fez sentido

Não é do desencaixe
Da imaginação e da fantasia

É da realidade mesmo
Do desencaixe
De tanto ficar vivendo loucamente

Me esqueci de você
E da saudades
E da falta que você me faz

Respirei fundo
Acelerei o carro
E pensei
Até quando você irá me assombrar?