Amor fim

Padrão

amor tumulo

Já pensei

Milhares de vezes

Não posso te dizer
Nunca mais

Que aqui jaz
No dia que eu for
Ou

No dia que você
For

Nunca saberá
Do amor
Que prometi
Eterno ser

É promessa
E cumprida
Até agora…
E até meu último dia
Aqui…

Mas sei
Que sentimentos desses
São para sempre

Mas não tenho como
Te dizer
Não sei de você

Se é vivo
Se ama
Se tem filhos
O que fez
O que faz

E da promessa de ser para sempre
Até a morte nos separar
De sermos únicos
E fiéis
Ficou no papel
Da promessa
Com dedinhos cruzados

Mas não para mim

Então
Hoje
Eu rezo
Toda noite
Para Deus
Cuidar de você

Já que de mim
Não tem mais lugar

Do para sempre
Que virou abismo
Do para sempre
Que é nunca mais

Uma vida
Nunca mais de você
É morte
Dia a dia
Para mim.

Anúncios

Lembra de mim?

Padrão

SAUDADE
Lembra de mim?
Um dia fomos nós
Eu e você
Daquela vida
Que eu queria só para mim
De você
Que eu achava que era meu
Só meu
E de mais ninguém

Mas nunca foi
Sempre fomos
Mais do que dois
Muito mais do que todos
Os que cabiam
Entre nós…

E eu achava
Que poderia ser
A guardiã
O porto seguro
O lugar do amor
Na sua vida…

O amor
Já estava por ai
Em todos os lugares
Eu era apenas mais um
Dos lugares que você estava
E prometia

Na verdade você disse que me amava
E eu entendi que era única
Você disse que eu era especial
Eu entendi que seria para sempre

E assim
Ainda espero
Você voltar
Para me dizer algo
Que possa fazer sentido
No lugar
Que eu não escuto
Do lugar
Que não há
Do lugar…

Em que eu possa ser
Algo
Ao seu lado
Para sempre…

Vem comigo, eu cuido de você…

Padrão

amor
Menina
Onde você estava?
Todo dia acordando
Relembrando
Vivendo presa ao que foi
Muito tempo perdido
Muito tempo nessa tortura
De achar que ia ser diferente
Que podia ter sido diferente
Foi o que foi
Foi o que era para ser
E não tem como voltar
Para refazer
Reescrever
Dizer que você sente muito
Ou matar
Então hoje
Eu te trago de volta
Abro a porta
E peço para você vir
Te abraço
Enxugo suas lágrimas
Tenho você em meu coração
Digo que está tudo bem
Que agora
A vida é boa
Que agora o dia tem sol
Que a vida te espera
Para brindar
O que você foi
O que você é
E a vida que é
Hoje
Graças
A quem você foi
Beijo-te o rosto com ternura
E de prometo
Agora
Está tudo bem…

Demorei para entender

Padrão

coração partido

Vem

Me dá

O que você quer

 

Me dá

O que você finge

Querer dar

 

Me diz

O que sempre diz

E eu ouço

Acredito

 

Quando percebe

Que algo é

Ou algo foi

Ou não foi

 

Não tenho coragem

Olho e provoco

Digo sem dizer

 

Acabou

 

Não te quero mais

Não é ausência

Sem motivo…

 

É ausência

Sentida…

 

Do sentido que um dia eu quis

Acreditei de verdade

Que poderia ser

 

Esqueci

Que nunca houve

 

Sempre eu te amo

Para outro alguém

Eu ouvindo as histórias

Todas…

De todas…

 

E que sempre cabe mais um…

Ou que você sempre espera

Para a próxima

O amor perfeito

 

Mas eu entendi

Que eu sou

Apenas a passagem

O lugar

De espera

 

Que nunca fica

Sempre passa

 

E agora eu escolho

Partir

 

Você já partiu

Então

Eu parto

De mim

De nós

Do que nunca será

Meu bem…

De tão longe

Padrão

LONGE
Sua visita
Me fez bem

Daqueles bens
Que a gente não tem
Com qualquer pessoa

E você veio

De tão longe
Para se aconchegar

Fez visita
Fez sentido
Fez morada

No seu abraço
No seu encaixe
No seu lugar

Pouco disse
Mas disse

Não prometeu nada
Mas vez

E me fez lembrar
Do que era
Do que foi
Do que eu não deixei
Do que eu fugi
Escapei

Nem sabia ao certo
Que ainda havia lugar
Ou lembrança certa

De você
Em mim

E isso
Eu quero
Quero mais
Quero sempre

Venha ser real
Venha se tornar real

De você
Eu aceito
Sempre mais…

Labirinto

Padrão

labirinto

Entrei no labirinto
Fui a lugares estranhos
Você estava lá

Conseguiu me envolver
Eu tentava escapar
Mas ao mesmo tempo
Sei lá

Você me beijou
E foi bom
Foi bom…

Mas eu disse
Não era nada
Não tinha como ser nada
Porque não

Vou embora
Desço as escadas
Fujo
De você
De mim
Do que foi
Do que senti
Do que um dia
Senti

Digo

Peguei o carro
Na ordem de letras
Na ordem de cores
Na ordem….
Escapei

Fui embora
Sem rumo
E tinha noção
Do perigo

Eu estava perdida

Mas perdida
De mim
Não de lugar

Perdida
da vida

Perdida
Da Silva

Quando achei
Que tinha achado o caminho

Acordei.

A mala é minha, né?

Padrão

fimsim

Do que adianta
Você quer saber
Mas isso é só vaidade

Não quer saber
De verdade
Só quer manter

Mas nem é mais
Não tem mais
Só é
O que sempre foi

Para mim
Demorou
Um tempão para entender
Que nunca foi

Eu lia
O que nunca foi escrito
O que você nunca disse
Nunca vai dizer

Tudo bem
A mala lá fora
Você me esperava

Mas entendi
Não era você quem iria partir
Não é mesmo?