Dobrando a dose

Padrão

drogas1

Esses dias todos
Eu fiquei assim
Desligada
Alheia
Desencaixada

Achei que estava tudo bem
Que as coisas iam melhorar
Mas agora eu só quero saber
De ficar dormindo

Da minha cama
Do meu travesseiro
Dos lugares que eu posso visitar
Enquanto fecho os olhos

E mergulho
Vou profundamente
E viajo
Me perco
Não tenho hora para voltar
E nem hora para chegar


Naquele lugar
A vida ainda tem algo a oferecer
E mostrar que tem um sentido

Mas mesmo assim
Neste entorpecimento
Não era para estar assim

Então
Semana que vem
Eu volto
E ajustamos a dose

Tudo bem…
Mais um pouco
Para que a vida possa voltar a ser
O que nunca poderá ser mesmo.

Drogas novamente

Padrão

drogas

A vida ficou tão estranha esses dias
Não sei dizer ao certo quando foi
Antes ou depois
Das drogas

Mas elas só vieram
Porque eu não dei conta

E a explosão foi grande
A tremor foi profundo
E trouxe a tona o que havia
De ser esquecido
Porque eu queria esquecer

Mas um dia
Quando não colocamos o lixo para fora
Ele irá nos lembrar que ainda está lá
E não sairá de lá
Até que nos movimentemos
E façamos a nossa parte

E eu deixe esse lixo
Todo crescer e ganhar forma
Força e voz
E ele gritou alto
Me fazendo tremer na base
Me tirando da direção
Que eu achei que era certa

De repente
Deixei ele lá
Porque eu queria
Que ele me lembrasse
E me tirasse
Do lugar que eu fingi escolher
Mas na verdade
Fui

Fui
Sem opção
Sem vontade
Sem querer
Sem tentar

Sem outra rota de futa

E fiquei
Parada
Paralisada
Mumificada
Esquecida de mim
De meus desejos
De meus interesses
E quase virei o lixo

Revirei o lixo de mim
Do meu lixo
E virei um só

Agora
Agora as drogas me dão
O que eu tinha que ter feito
O que eu havia de ter me dado
O que eu nunca havia de ter me deixado

Um sentido…

Só dormir

Padrão

dormir

Eu acordo com sono
Levanto da cama com sono
Tomo banho com sono
Tomo café com sono

Olho ao redor
E não há nada que tenha
Uma única razão
Para acabar com esse sono

Dirijo
Resolvo coisas
Desligo
Ligo de novo

E nesse movimento
Me religo
Ligo com o que faz sentido
No que não tem sentido
Entendo
O que as vezes não tem como
E conecto
Remendo
Limpo
Mexo
Vou lá e acho beleza
Encontro o que sempre esteve lá

Depois volto para casa
E o sono volta
Do lugar que ele se escondeu
Para que eu pudesse fazer a mágica

E agora de pijama
Olho para minha cama
Abraço meu travesseiro

Me entrego
Ao que o dia todo me quis
E eu não pude

Porque ainda há muito o que se feito
Descoberto e organizado
Para mim…

E para…

Eu mesma.

Boca seca

Padrão

tristeza-Livres-de-todo-Mal

Sono
Esse gosto estranho na boca
E não lembrar do que aconteceu ontem

Mas não é ressaca
Não são as drogas
Elas apenas dão entender
Mas não dizem respeito
E não afirmam nada

Elas apenas embotam
Deslocam
Desencaixam
Fazem anestesiar

E hoje você cutucou
Me perguntou o que era
Óbvio demais para qualquer um

Mas estúpido demais para mim

Eu tinha me esquecido
Parei de pensar
Pare de olhar

Eu já tinha sido provocada
Mas achei que era besteira

E aconteceu de novo

Agora eu fico aqui
Sentada e alheia
Olhando para o redor
Procurando vestígios
Detalhes do que eu esqueci
De que era a vida

Do que um dia foi esse lugar
Do que era realmente para ser

Mas agora tanto faz
Você decidiu
Você me disse

A verdade é que você acertou

Agora
Eu vou voltar para casa.

Drogas para amenizar a pressão

Padrão

brigadeiro

Não tem erro…

Nos dias que eu estou assim, mais ou menos, na verdade mais para menos do que para mais, eu tenho que recorrer a algumas substâncias entorpecentes que acabam equilibrando o que se passa no meu coração, na minha cabeça. Talvez até equilibrem meus hormônios e as alterações lunares que eu acredito que mexem comigo…

Ai eu vou plagiar e censurar:

“…vem maluco, vem madame
vem maurício, vem atriz
pra levar comigo
tô vendendo
que curam e acalmam
tô vendendo
que aliviam e temperam.

…a clientela é vasta, eu sei
porque os remédios normais
nem sempre amenizam a pressão
amenizam a pressão
amenizam a pressão”.
(O Rappa – A Feira)

E para os amigos de plantão, aceito sempre…

Só para constar, se me convidarem para algum evento, deixem uma bandeja reservada só para mim…

#fica a dica!

 

Caminho para o fim

Padrão

escada que desce

Você me estendeu a sua mão
Eu aceitei
Aceitei como a promessa de que você sabia os caminhos para onde estava me levando
E eu fui
Fui como qualquer outro caminho

Quando as coisas já não fazem mais sentido mesmo
E fui sem certeza alguma
Talvez com muita vontade
Mas direcionado para as intenções e lugares errados

E você me ajudou
Ajudou com o melhor do que você podia me oferecer
E eu fui me envolvendo cada vez mais
Sem pensar no ontem
Sem planejar o amanhã

E este caminho, que eu pensava possível de um dia ser deixado
Foi se tornando cada vez mais íngreme e perigoso
E sem perceber fui me envolvendo cada vez mais
E sem perceber… fui afundando cada vez mais

E sob a ótica desta nova perspectiva
Tudo não fazia mais sentido
Então te acompanhar, era o que eu podia fazer de melhor
Era a única coisa que me restava

E fui
E você me envolvendo cada vez mais
Sem mais vontade e certeza de nada
E o amanhã não importava mais

Mas em alguns momentos refletidos pelo espelho
Diante das possibilidades da realidade
Que continuava lá
Sempre esteve lá

Eu me choquei com o que vi
E me desesperei com a realidade que se apresentava
E você
Me olhando de frente

Me disse apenas, que eu fiz o que eu quis
As escolhas foram minhas
E que agora a minha dívida era por demais alta
E o valor a pagar
Se tornou a minha maior penitência…