Sem rumo

Padrão

perdido

De novo
Nojo
Repulsa
Angústia

Esse estômago embrulhado
E lá dentro
Um Universo de coisas remexendo
Revirando
E fermentando
Fervendo…

Do que eu não consigo colocar para fora
Do que nunca foi dito
Do que nunca foi entendido
Do que nunca conseguiu ser significado

E fica lá
Girando
Rodando
Embrulhando
Maltratando

Reiniciar…

E fica lá
Girando
Rodando
Embrulhando
Maltratando

Queria tanto
Ter coragem para seguir adiante
Acabar logo com tudo isso

Me oferecer a paz eterna
Dar a vida um significado
Em outro lugar qualquer que fosse

Mas
Só consigo

Reiniciar…

E fica lá
Girando
Rodando
Embrulhando
Maltratando

Mas amanhã
A vida pede normalidade

Então
Eu

Só consigo

Reiniciar….

Você não vai ouvir

Padrão

fingir

Além disso

Você não compreende
Que eu não sou você
E que eu não tenho intenções
Ou muito menos desejo
De saber o que é
Ou o que há
O que houve

E suas explicações
Elas me cansam
Me deixam desligada
E quanto mais eu me esforço
Mais eu fico cansada
E esse cansaço é em vão

Porque eu acho
Que errei na conta
E agora esse prejuízo
Está pesando

Lá atrás eu quis
Mas você me cansa
Demais
Você acha que eu te devo
Que eu quero

Pelo Amor
Eu não quero nada
E se eu pudesse
Bateria a porta ao você sair

Mas pelo visto
Você não sai…
Enquanto isso
Eu finjo…

As vezes

Padrão

as vezes.jpg

Não entendi

Mas também não sei
Se tudo tem que ser assim

Tudo tem que fazer parte
Sentido ou lugar

Das palavras que eu li
Do que tinha sentido
Acho que não dei significado
Ou não dei o devido lugar
Para que elas pudessem ser

Não importa mesmo
Na verdade nunca teve importância para você
Do jeito que tinha importância para mim

E eu fui deixando
Ficando assim
Meio insensível
Meio sei lá

O que é
O que não é mais

Mas não há de ser nada
Porque eu deixei de querer
Tentar entender
Esse lugar e suas palavras

Hoje
Eu só deixo estar
Deixo para lá
Deixo quieto

E finjo que não entendi nada
Assim a vida fica mais
Ou menos…

A vida fica…

Patuá

Padrão

patua

Estava pensando em inveja
Quando as pessoas falam essa palavra
E eu fico tentando entender
O que isso quer dizer?

Outra palavra que eu não entendo
É dó….
Não sei o que significa ter dó…

E fico imaginando o que isso quer dizer
Onde tudo isso se encaixa
Do que se trata tudo isso

Dos lugares
Que as pessoas acham que os outros
Desejam ocupar
Ou ter
Ou pertencer
Ou ser
Ou não ser
E não pertencer
Ou ter
Ou ocupar…

Ou sei lá o que

Porque se todo mundo tem uma vida
Então todo mundo pode tudo
De ser ao não ser
Do ter ao não ter
Do querer ao não querer
Do vencer ao não…

Do sim e do não.

Todo mundo tem essa medida
Então inveja e dó
Não tenham inveja
Não tenham dó

Só tenham amor
E muito querer bem
Porque é isso que move o mundo
Isso que move a vida
e isso que faz a vida valer…

Amor que transborda
E preenche…
O resto…
O resto sobra e fim.

A lua e eu

Padrão

lua

Teu silêncio chegou aqui
E me fez pensar
Em tudo o que houve
Na minha falta
Na tua ausência

E no telefone que não tocou
Das palavras que não chegaram
De você me chamar para ficar
Ou para passar
Para ser
Ter
Ver
Querer

Te
Ver
Querer

De nada

Nada disso

Porque não houve
E o silêncio
Das tuas palavras

Me fez pensar
No silêncio que me dei
Me fiz
Me permiti

Do lugar que não ocupo
Não ocuparei
Na sua vida

Mas mais ainda
Na minha vida

Esse silêncio ecoando
Aqui dentro
Do meu vazio
Que você deixou

E no meio dessa noite
Silenciosa
Barulhenta
Do tic tac do relógio
Dos automóveis na rua
Das estrelas lá em cima

E da Lua
Ela me entende
Na solidão
Da sua presença
No vazio

No vazio das palavras
Que ecoam nessa noite estrelada.

Das contas que não fecham

Padrão

banco-no-mar

Não sei mais jogar
Esse joguinho de ir e vir
De querer e fingir que não quer
De ser e fingir que não sei
Não ser?
Não sei…

E ai você me diz que tá tudo bem
Seu silêncio me diz que está tudo bem
Mas suas palavras
Quando se apresentam
Me confundem

E me dei conta
Da conta
Que não fecha
Mas não brincar com números

Não sei brincar com pessoas
No final das contas
Não sei fazer contas
Das palavras
Que as pessoas dizem

E não sei fazer sentido
Do sentido que você dá
Do sentido que você me dá
Das palavras que você diz
E do que eu não entendo

E seu silêncio me conforta
Mas me tira do eixo
Do que eu pretendia
Do que eu achava que entendia
Do que não fechava

Tudo bem
E agora eu fico me equilibrando
Das palavras que você me disse
E que me cortaram

E agora finjo que está tudo bem
Mas se estivesse tudo bem
Não iria doer

E eu não ia ficar tentando me equilibrar
E fingir que está tudo bem
Que você nem se dá conta que não está

Mas não sei se você se importa
Porque o seu silêncio me diz isso

Está tudo bem.

Está?