O dia que eu morri

Padrão

morte

Quanto tempo foi?

Que eu deixei você?

Sai
Larguei tudo para trás

Nao fiz mala
Larguei discos
Cartas
Lembranças
Histórias

Larguei você…

Da vergonha
Que sangrou
Quando os olhares
Me contaram
O que eu não vi

Porque estava presa
Porque estava apaixonada
Porque estava cega

Eu nem sabia
Nunca passou pela cabeça
Que isso existia

E senti
A lâmina atravessar
Meu peito
Atingir em cheio
Meu coração

Naquele dia
Eu cai
Sangrei

Morri…

E na morte
Esqueci de te buscar
Para partir comigo

Deixei você só

Hoje
Volto

Hoje
Te estendo
A mão

Venha comigo

Não tenha medo

Aqui
Você está a salvo
Aqui
Há luz
Aqui
Eu posso
Te dar
E devolver

Vem
Comigo
Meu amor

Eu nunca mais
Deixarei você.

Anúncios

Não vou mais te atender

Padrão

porta trancada

Eu nunca te agradeci
Quando você veio
Chegou
Aconchegou
Fez morada

Mas quis mais
E nunca te ofereci
O que você merecia

Porque sabia
Da verdade
Que todo mundo sabia
Guardou
E riu
Como
Obviamente
Achava
Que eu sabia

E no fim
Pediu para ocupar o lugar
Do inocupável
Me pediu
O “impedível!
E maltratou
O “inimaltratável”….

Tudo bem

Hoje
Você chama
E até hoje
Espero
Que você me diga
Era mentira
Você quer uma nova chance?

Mas tudo bem
Hoje
Está tudo bem
Mas

Por favor
Não me ligue mais.

Fingi que estava ouvindo

Padrão

silêncio-1

Ontem você veio aqui
Foi legal
Até que foi

Mas houve um momento
Muito maior do que eu esperava
Que você começou a falar
E disparou o que havia
E foi longe demais

Não penso nas consequências
Não pensou que poderia rasgar
Ir mais longe do que deveria

E foi mais uma vez

E durante o caminho
Quando estávamos partindo

Pensei em como havia me metido lá
Como foi mesmo que eu deixei
Isso ir tão longe

Quando te coloquei no altar
Fiquei ajoelhada tempo demais
Devo ter sofrido um apagão

E agora que acordei
Descobri
O quanto existe de chatice
No que é você

E não é a toa
Que tudo está como está

Eu deixei
Nessa história
Definitivamente
Eu acreditei
E deixei ir
Longe demais.

Fim

Padrão

insonia

Nunca por aqui

Antes

Sem motivo

Houve de haver

Sua visita

Mas hoje

Você veio

Sem convite

Sem eu abrir a porta

Você chegou

Deitou na cama

Ficou me olhando

Minha cabeça gritando

Meu corpo suplicando

E você

Me fazendo companhia

Procurei o que fazer

Para lhe dar tempo

Repassei o dia

Considerando ter deixado

Escapar algo

Nada me vem

Não entendo

Você ri

A cabeça dói

O corpo reclama

E da minha cama

Nada de mim

Nada de sono

Sempre só

Desta vez

Tu

Volte para seu reino

Sei quem te mandou

Não és bem vindo aqui

Volte

E diga

Que de mim

Não mais

Haverá

De haver

Nós

Morte em vida

Padrão

amor infinito.png

Volta
Por favor
Te imploro
Ajoelho me
Diante de ti
Volta

As lágrimas que caem
Copiosamente
Do coração
Que explode
Em cacos e migalhas

Dessa morte
Que me consome
Dessa dor
Que me estrangula

Volta

Eu finjo
Que nada aconteceu
Eu finjo que não sabia
Eu finjo que nunca foi
Que eu acredito
Na pureza
Do meu olhar
Quando te vi
A primeira vez

Da vez que você olhou
Para mim
E me deu
O primeiro beijo

Volta
Volta
Volta

Porque a vida
Sem você
Com o que é agora
Me mata

E viver
Sem ter você
Não há

Volta….

Sem importância

Padrão

fim-relacionamento

Você está certo
Absolutamente
Com toda a razão

Mas
Você esqueceu
Um importante
E peculiar
Detalhe

Algumas pessoas
Não tem paladar
Não enxergam azul
Ou vermelho
Não sentem temperatura

E tem pessoas
Que não reconhecem afeto

Só isso

Não é por mal

Um dia
Nesse ir e vir
Da vida

Tomei um tombo
Cai de cara
Quebrei ele
Em mil pedaços

E desde então
O que era oco
Fraco e falho
Hoje é caco

E não sente
Não entende
Não reconhece
Não é

Então
Não se importe
Porque eu
Não me importo
Com você.