Ausência

Padrão

selo
Quem diria que isso aconteceria…

Logo eu
Tão certinha
Tão controladora
Tão sistemática
Tão chata….

Deixei isso acontecer.

Mas foi sem querer

Porque as vezes
Acontece…

A vida vem
E faz a gente cair

Mas não por maldade
Apenas para testar
Nosso jogo de cintura

Então
Voltei

No meio do olho
Do furação

Mas a risada do universo
Foi me deixar sem internet…

Tudo bem
Vou continuar um tempo assim

Mas não tem problema

Vou lembrar como é voltar
A escrever cartas
E
Saber se lá nos Correios
Ainda tem selo para vender

Será que essa moda pega?

Anúncios

Tinha de ser assim

Padrão

chave 2

Como você está?

Quanto tempo que não te vejo…

Por onde você andou?
Esteve esse tempo todo?

Te reconheci
Em uma fotografia

Aquele sorriso

Lembrei daquele dia
Lembrei daquele tempo
Lembrei que lá…

Lá ainda havia algo
Algo de você
Algo em você
Algo para você…

A vida tinha lugar
Sentido…
Direção…
Vontade…

E de repente
A vida virou
A rota mudou
Tudo ficou escuro
Lugar não havia mais

Você partiu
Talvez
Tenha ficado presa
Em alguma caixa
Junto com a mudança
Ficou em algum canto
Esperando o tempo certo

Fingindo que o tempo era pouco
E que o tempo era logo ali

O tempo passou
O presente chegou

E de tanto ficar lá
Esqueceu o que era mesmo
Quem era mesmo

Na frase dessa semana
Acordou

Como se precisasse do sentido
E ele te fez….
Sentir…

Agora te reconheço
Na foto…

Procuro você
Por aqui….

Não encontro

Mas tudo bem…

Te convido
A vir comigo
Porque aqui
Tem lugar para você.

Dormir

Padrão

janela
Você voltou

Não me lembro da última vez

Mas me lembro de você…

Sempre é assim

Nas horas estranhas

Nas horas desencaixadas

Nas horas imprevistas…

Você

Me oferece a exata medida
Do que e necessário
Do que é fato
Do que falta

Como se estivesse sempre ali
Esperando a hora certa

Não sei se é você
Não sei se sou eu
Não sei se há…

Mas digo
Essas noites
Tem motivos diferentes
Para querer estar lá

Você

Por favor
Venha sempre…

Venha mesmo sem eu pedir
Porque se for necessário
Você é sempre
A parte que faz sentido
A parte que tem sentido

Agora entendo
Você faz parte
Do todo…
E não da parte…

Nostalgia no coração

Padrão

chuva

Ontem a noite
Eu estava assistindo um filme
E sempre que é esse filme
Eu lembro de você

Com um suspiro profundo
(Todo suspiro é profundo)
Lembrei de nós

Daquela época
Daqueles dias
Do que um dia foi
Na verdade foram vários dias…

Deu uma saudade boa
Daquelas que eu queria ter de novo
Viver de novo
Ter você de novo
Estar com você

Mas o que é saudade
Só há de ser sentido
E de ter sentido
No meu coração

Mas tudo bem
Eu fiquei quietinha por alguns instantes
Lembrando
Sentindo
Suspirando…
O que houve de ser
Saudade boa…

Aquele segredo

Padrão

atras da porta

Você me tocou?
Lembro
Que um dia
Atrás de uma porta

Eu não consigo me lembrar
Mas eu sei que alguma coisa
Que mudou tudo
Da infância
Da inocência
Da doçura

Alguma coisa aconteceu
Atrás daquela porta

Foi alguma coisa grave
Que outras pessoas fizeram silenciar
Confundiram as percepções
Disseram que não era nada demais

Era sim
Porque até hoje
Essa coisa toda está no meu corpo
Preenche minha mente
E me paralisa

Me faz chorar dia sim
Dia não
Me faz não fazer
Me faz não ter coragem
E me escondo

Nas roupas
Nas palavras
Na comida
Na vida

Ela foi amarga desde o começo

Como alguém tem coragem?

E desde então a vida acabou.

Boca seca

Padrão

tristeza-Livres-de-todo-Mal

Sono
Esse gosto estranho na boca
E não lembrar do que aconteceu ontem

Mas não é ressaca
Não são as drogas
Elas apenas dão entender
Mas não dizem respeito
E não afirmam nada

Elas apenas embotam
Deslocam
Desencaixam
Fazem anestesiar

E hoje você cutucou
Me perguntou o que era
Óbvio demais para qualquer um

Mas estúpido demais para mim

Eu tinha me esquecido
Parei de pensar
Pare de olhar

Eu já tinha sido provocada
Mas achei que era besteira

E aconteceu de novo

Agora eu fico aqui
Sentada e alheia
Olhando para o redor
Procurando vestígios
Detalhes do que eu esqueci
De que era a vida

Do que um dia foi esse lugar
Do que era realmente para ser

Mas agora tanto faz
Você decidiu
Você me disse

A verdade é que você acertou

Agora
Eu vou voltar para casa.

No quentinho aqui

Padrão

gatinho

Está frio lá fora
Embaixo das cobertas,
Esperando um sopro de vontade
Na verdade, esperando
Algo que tenha sentido
Ou faça sentido
Para que eu possa levantar da cama
E querer fazer algo
Que faça meu movimento e desejos
Valerem a pena

Há tanto tempo
Já perdi a vontade
O desejo de algo
O pensamento
O futuro

Futuro do que?

De pensar que haverá um dia
Em que eu não pensarei mais em você
Não desejarei mais a história de nós
A possibilidade de um dia ter dado certo
E esse peso que me consome e me afunda
Me destrói e faz querer não querer

Faz não fazer mais sentido algum

E o frio lá fora
É apenas reflexo do que há aqui dentro
Do meu peito
Da minha cabeça
E muito além
Da minha alma e vida

De saber que esse inverno não acaba nunca
Ou nunca acabará
Porque ele me faz saber
Que um dia houve de haver você
Em minha história

E apesar de tudo
O que resta é o que me faz
Abrir os olhos todas as manhãs
Porque na cama

Na cama é o único lugar do mundo
Em que ainda cabe nós dois

Nos meus olhos fechados
Nos meus pensamentos
E tudo mais que você não tirou de mim.