Amor

Padrão

amor1

Oi
Você nunca soube e nunca vai saber
Um dia eu te escolhi
Quis querer te

Dos olhares que se cruzaram
E da estranha sensação
De que um dia
Já houve nós dois

Daquelas certezas
Que não se explicam
Das coisas que a vida oferece
E a gente só pode agradecer

Da sua presença
Do seu sorriso
Do lugar que você ocupa
Em sí e na vida

Da leveza que existe
Quando você se faz presente

Do seu sorriso
O sorriso mais lindo
Do seu abraço
O melhor abraço

Das suas palavras
Que são enigmas
Que finjo não entender
Para deixar a conversa nos levar

Mas finjo não entender
Que você quer algo
Que não sei se poderei oferecer
Porque desta condição
Eu me recuso a pertencer

Então
Finjo não saber
Finjo não entender
Finjo não perceber

Dessa loucura
Me equilibro
E você acredita

Mas se não fosse assim
Eu prometo que aceitaria
Eu prometo que sim

Sim
Eu te daria meu mundo
Em troca do seu.

Anúncios

Sobre ser leve

Padrão

amor coração.jpg

Da leveza que eu não encontrava
Porque tinha esquecido onde ficava
Ou não tinha tempo para ter
Me permitir ter esse regalo

Do dia que amanhece
Em um céu azul
Com o horizonte iluminado
Pelos primeiros raios do dia

E saber
Que este é o caminho
Este é o lugar
Essa é a única certeza

De que faz valer a pena abrir os olhos
Levantar da cama
Abrir a porta de casa
E ir em rumo ao que é

Da melhor parte da existência
Recheada da melhor escolha
E da melhor metade / parte
Da existência

Quando estar comigo
No que a vida e o conhecimento
Fomentado pelo tempo e a sabedoria
Podem rechear

A vida
Que eu escolhi
E posso ter
E me permitir
E ser

Simplesmente ser
Na melhor parte do que eu tenho
E da melhor parte que a vida tem
E das partes que se unem

E fazem o que é
A melhor vida de todas!

Vida louca, vida leve…

Padrão

eu-comigo

Tentando fingir que a ficha não caiu
Que eu posso voltar no tempo
E fingir que nada disso aconteceu

Que eu investi tudo
Meu tempo
Minha atenção
Minhas economias
E tudo o que eu acreditava

E agora
De um minuto para outro
Quando o ponteiro avançou

E a vida se encaixou em mim
No meu corpo
Nos meus sentimentos
Nos meus pensamentos

A minha alma
Se encontrou em mim
No meu ser
E na minha existência

Me dei conta
Que só agora
Quatro décadas depois
Da grande chegada

Que tudo está errado
Tudo

Do começo ao fim
Das risadas e histórias
Das mentiras e desencaixes
De tudo o que acreditei

E agora
Sim
Agora
Tudo acabou

Sob essa nova perspectiva
Que se apresenta
De um vazio de possibilidades
Desse sol que nasce no horizonte

Agora me vejo
Despida
Sem rumo
Sem verdades
De tudo o que eu acreditei

Agora a vida é nova
E tudo faz sentido
Mesmo sabendo que não há

E tudo o que houve
Não serve mais
De todos que amei antes
Não foram
E todo tempo

Não
Nada foi perdido

Respirar fundo
Erguer a cabeça
E permitir
Essa nova vida

Que sempre esteve aqui
Eu que nunca tinha visto.