Não posso…

Padrão

pecado

Fingi que estava tudo bem
Que eu estava bem
No lugar de sempre
E fiz o que eu sempre fiz
Hoje eu fiz melhor
Nem sabia que havia melhor que isso
E houve
Eu fiz…
Mas do outro lado da porta
No lugar de sempre
A outra me esperava
E me olhava com piedade
Os olhos baixos eram o prenúncio
E me imploravam um lugar
Uma explicação
Me ordenavam…
Neste dia eu me dei conta
Que o limite entre a razão e o sentir
Entre o querer e o não querer
Entre a sanidade e a loucura
Entre te querer e fingir
Esses limites estão ultrapassados
E me dei conta que
Falta apenas mais um passo
Para eu cair na sua loucura
No desafio de sua falta
No que você quer de qualquer um
E agora quer de mim
Não tenho isso
Não posso te oferecer
Não posso cair em tentação
Pois minha queda será o fim
Do pouco que ainda resta
Até hoje…

Sem entender

Padrão

alvoUm dia você me liga
No outro você desliga

Mando um Oi
Você responde
Dias depois

Sempre tem uma desculpa

E eu deixo
Caio em todas
Deixo elas todas
Fazer sentido…

Nem ligo

Mas estou pensando
Ligo sim

Ligo demais
Para você
Em minha vida
Em meus pensamentos
Em meu coração

Mas você
Nem sei mais
O que é
Ou o que será

Talvez nunca tenha sido
O que eu achei que era

De ficar ignorando
Fingindo ou mentindo
Para mim mesma
Comecei a acreditar
De verdade nessa história
De amor…

Eu inventei tão bem
Que agora virei refém
De meu amor
Platônico
Por alguém…

Você me manda um Oi…
Minha vez de brincar com você…

Surpreendida de verdade

Padrão

nudes

Hoje você me chamou
Mandou uma pergunta logo de cara
E eu comecei a rir
Rir de nervoso
Daquelas perguntas
Que primeiro a gente se apresenta
Faz um elogio
Inventa uma desculpa

Mas você foi você
E foi de supetão
Certeiro
E devastador

Essa semana está tão
Tão estranha
Daquelas que de normalidade
Não dá nem para entender
Porque não há

E você com sua pergunta
Piorando
Fez uma proposta
Mandou algo que não precisava
Mas eu deixei
Queria ver até onde iria

Mas eu me enganei
Não tinha limite
Não tinha razão
Senso algum

Ainda estou tentando entender
Que a sua loucura
Te levou ao limite
E que a confiança
Te levou ao limite

Mas isso
Isso você quebrou
Isso você nunca teve
Isso você quebrou ha tempos

Tem gente que nasce sem isso
E com certeza
Você é uma dessa pessoas

Para deixar um pouco pior
A culpa foi toda minha
Eu deixei…

Aquele segredo

Padrão

atras da porta

Você me tocou?
Lembro
Que um dia
Atrás de uma porta

Eu não consigo me lembrar
Mas eu sei que alguma coisa
Que mudou tudo
Da infância
Da inocência
Da doçura

Alguma coisa aconteceu
Atrás daquela porta

Foi alguma coisa grave
Que outras pessoas fizeram silenciar
Confundiram as percepções
Disseram que não era nada demais

Era sim
Porque até hoje
Essa coisa toda está no meu corpo
Preenche minha mente
E me paralisa

Me faz chorar dia sim
Dia não
Me faz não fazer
Me faz não ter coragem
E me escondo

Nas roupas
Nas palavras
Na comida
Na vida

Ela foi amarga desde o começo

Como alguém tem coragem?

E desde então a vida acabou.

Lixo

Padrão

lixo

Sinto muito
Ninguém vai te pegar no colo
Ninguém vai cuidar de você
E dizer que a vida vai melhorar

Ninguém vai apoiar seus sonhos
Para piorar as coisas
Ainda vão fazer você escolher errado
Porque as suas escolhas são lixo

Sim
Não só a roupa que você está escolhendo
É a mais feia e não combina com você
Mas tudo o que você toca vira lixo

E assim você vai crescer
Acreditando que seu cabelo é um lixo
Seu corpo é um lixo
Suas escolhas são um lixo
E você só serve para fazer
Suprir e obedecer o que te mandarem

Qualquer pessoa que mandar em você
Qualquer conhecido ou desconhecido
Qualquer um tem mais valor e sabedoria
Mais entendimento e poder que você
Sobre a sua vida e as suas escolhas

Você nasceu apenas para preencher um buraco
Ser uma desculpa
Ser alguma coisa
Mas não era para você viver

Mas você acabou nascendo
E esse plano não estava nos planos

A intenção era só separar

Mas você nasceu
E atrapalhou todos os outros planos

E desde então você é isso
Um atrapalho na vida
Um lixo no meio do caminho
Que ninguém tem coragem de colocar para fora

E enquanto isso
A vida está passando
E o único desejo
É que o fim se aproxime
Para que no final das contas
Esse coração possa parar de sangrar de vez.

Perguntei sem querer

Padrão

falei demais

No meio da conversa
Das palavras que dançavam
Entre idas e vindas
Vindas e idas

Eu me peguei perdida
No que me era dito
Da habilidade
Na labilidade

Não dei conta

Sem querer
Falhei

Juro
Não foi por mal
Na mania de explicar
Acho que me peguei
Querendo preencher
O que não era

E meu corpo inteiro congelou
Por uma fração de segundos
Fui do céu ao inferno

E senti a pulsação
Das batidas do meu coração
Do ar frio que entrava
Em meus pulmões

Não sei como
Consegui continuar
Presa ao chão

Pois fui eu mesma
Que abri o buraco

Demorei um tempo para entender
Do que era tudo isso afinal

Mas dessa brincadeira
De mentir e não contar a verdade
Eu já decidi
Não quero mais