Vem comigo, eu cuido de você…

Padrão

amor
Menina
Onde você estava?
Todo dia acordando
Relembrando
Vivendo presa ao que foi
Muito tempo perdido
Muito tempo nessa tortura
De achar que ia ser diferente
Que podia ter sido diferente
Foi o que foi
Foi o que era para ser
E não tem como voltar
Para refazer
Reescrever
Dizer que você sente muito
Ou matar
Então hoje
Eu te trago de volta
Abro a porta
E peço para você vir
Te abraço
Enxugo suas lágrimas
Tenho você em meu coração
Digo que está tudo bem
Que agora
A vida é boa
Que agora o dia tem sol
Que a vida te espera
Para brindar
O que você foi
O que você é
E a vida que é
Hoje
Graças
A quem você foi
Beijo-te o rosto com ternura
E de prometo
Agora
Está tudo bem…

Anúncios

Menina

Padrão

meninalinda

Eu queria tanto ter dito
Na verdade
Eu só percebi agora
Esses dias

Como você é incrível
Como você foi incrível

Como eu sinto sua falta…

Lembra quando você sonhava?
Lembra que você acreditava
E foi lá
Fez acontecer
Quebrou paradigmas
Foi longe…

Interessante perceber
Que você foi longe demais

E faz muito sentido

Porque hoje
As feridas ficaram
Sangram e maltrataram

Fiquei tanto tempo
Escondendo elas
Cuidando delas

Esqueci de você
Do que você me deu
Do que eu sou

Menina
Como eu te reverencio
Eu agradeço
Peço por favor
Que se eu merecer

Volte…
Deixe eu te dar uma segunda chance
Vem viver essa vida
Que é sua por direito…

Vem…
Estou te esperando ….

Da confiança que você me deu hoje

Padrão

menina.flor
Chegou sua mensagem
Já havia tanto tempo
Tanta história
Tanto sentido

Mas você trouxe palavras
Perguntas e possibilidades
Lançou seu coração
E me fez perceber
Como poucos você permitiu
Aquela menina

A menina pequena
Frágil e doce
Que às vezes fica no cantinho
Olhando as pessoas passarem
As coisas acontecerem

Percebi que ficou sem graça
Porque não é dada a pedir ajuda

Sempre faz tudo sozinha
Porque aprendeu que tem que ser assim
Ela é forte
Mas as vezes esquece que é menina

De tanto tomar conta de todo mundo
Esqueceu de cuidar de sí mesma
Sem querer…
Aceitou amor pela metade
De alguém que não dá
Apenas toma…

E essa conta não fecha nunca…

Ela dá…
Ele não dá…
Ela ama…
Ele não sabe…
Ela espera…
Ele enrola

A vida passando

Mas essa menina tem outros amores
E sabe como cuidar muito bem eles

Neste momento da vida
No dilema do que é posto
Escolhe o que tem de ser
Cuidar do amor maior
Do presente especial
Que foi o maior que a vida lhe deu
E só podia ser dela

Pois esse tipo de amor
Ela sabe
Ela tem
Ela transborda

E como na vida não há enganos
Nem atalhos que levam a lugares incertos

A estrada dela
Os caminhos escolhidos
São os certos
São os únicos
E são seus!

Você está no caminho certo
Você está fazendo certo

E confie
Os seus dias
São os dias de hoje
Muito bem vividos
Pois inteira você sempre foi

Da vida que pede intensidade
Da vida que te pede
Do que você sabe que é
O seu lugar neste mundo

O do amor
Que só você compreende
Amor que se basta e fim.

O que nunca você saberá… Parte II

Padrão

infierno

Esqueci de dizer
Sobre aquilo tudo que
Nunca na vida você poderá saber

Mas dos caminhos que eu escolhi
Uma vez
Eu quase tive sucesso
E foi quase por um triz…

Mas algo além
Do nó que cortava a minha garganta
Da força que me prendia a minha cama
Do desejo imensurável de não mais sentir
E de não mais pertencer

Um portal me foi oferecido
E me deixaram descer
E relembrar lugares que já havia habitado antes
Mas que não estavam mais presentes em minhas lembranças

E a cada passo que eu dava
Em direção ao que um dia houve de ser
E até ontem se fazia encoberto
Pelo véu do esquecimento

Eu pude ver
E estava acompanhada
Por eles que um dia fizeram presente
Presença e sustentação
E agora são
A ausência de luz de lá
Mas presença de luz aqui

E me foi ofertada
Uma chave
Que abriu a única porta
Que estava trancada
Com os segredos

E ao abrir este portal
Eu ví
Eu senti
Eu revivi
Eu desconcertei
E descontrui

Tudo o que eu havia inventado
Criado e construído
Para ser minha fortaleza e morada segura

E me mostraram o que eu jamais poderei revelar
Mas que entendo
“Fui tudo culpa minha”
E se eu escolher voltar lá
Através de atalhos

Eu me encontraria
Com minha pior faceta
E nesta pior faceta
Todos os que eu deixei cair
Um dia
Cairiam novamente

Por minha culpa…

E por isso só
Bastará para que não tivesse
Uma enésima chance

Simplesmente por que a escolha foi minha

E sim
Eu nunca poderei lhe contar isso
Porque você nunca poderá saber
Que eu cai
Lembra?

Que eu um dia
Tive motivos
E cheguei muito perto
Como você

De tentar a rota de fuga
Daquele atalho
Que hoje,
Em meus caminhos
Se mostra sempre a disposição

Mas não é mais morada segura
Pois o que há a ser vivenciado
Experimentado e oferecido
É barato demais

Para tudo o que hoje
A vida oferece

E assim
Seguem meus dias

Como se houvesse uma cicatriz
Que me mostrasse sempre
Por aqui
Não mais.

Mas nunca…

Eu nunca poderei lhe contar isso…