Vazio

Padrão

vazio

Eu achei
Por um tempo
Certo tempo até
Que você seria capaz
De me dar
O que ninguém deu

E abri
Te contei tudo
Abri o coração

E você
Abriu
Se abriu no coração

E me fez ver
Que eu te dei errado

De coração
Não mais há

E quando eu entrei
Abri
A porta

Mas
De saber
Sabiamos

Que vazio
Estava

E vai demorar

Mas tudo bem

Temos todo o tempo
Para fazer o que quisermos

Mesmo
Que não seja
Com a gente.

Anúncios

Como deixei passar?

Padrão

amor halph
Meu carro
Meu divã

Na direção
Das duras

Mergulho
Nos meus pensamentos
Nos lugares que já estive
Que algo passou
Me passou
Eu passei…

Lembrei
Quando você me contou
Algo que parecia malicioso
Que eu quis entender assim

Na época
Queria outra resposta
Mas você respondeu
O que era

Somente hoje
Quando o farol abriu
Eu me dei conta

Quase ri alto
Lembrando
Das minhas tartarugas
De estimação…

Elas sacaram
Mais rápido
O que era óbvio

A resposta que foi
Na verdade é

Porque hoje
Ainda é

Igual assim

Nunca foi
Nunca será

A piada sombria
Eu mesma disse essa semana
Nada mais de esperar
O inesperável

Então
Aquela conversa
Aquela resposta

Que na época foi esquiva
Hoje
É fato…

Entendeu
Ou quer que eu desenhe?

Você de novo

Padrão

cadeira-criado-mudo

Você apareceu na minha cama
Do meu lado
Estava me observando
Quase um abraço

Neste lugar
Eu me lembrei
Do que um dia houve de ser
O que era
Nós…

Respirei fundo
Até lá eu me peguei
Com medo

Como seria possível
Nós de novo?
Nós juntos?
Nós no nosso lugar…

Olhei ao redor
Pensei em voltar a dormir
Você me cobriu

Perguntei alguma coisa

Sua respostas
A verdade veio até mim
Você mentia
Para variar….

Esse é o seu lugar
Sempre foi
E sempre será

Olhei de novo ao redor
E o medo não era real
Era apenas o que um dia houve
E ainda faz morada
Dentro do meu coração

Peço por favor
Não volte a aparecer
Em meus sonhos
Você não é mais bem vindo…

Sem entender

Padrão

alvoUm dia você me liga
No outro você desliga

Mando um Oi
Você responde
Dias depois

Sempre tem uma desculpa

E eu deixo
Caio em todas
Deixo elas todas
Fazer sentido…

Nem ligo

Mas estou pensando
Ligo sim

Ligo demais
Para você
Em minha vida
Em meus pensamentos
Em meu coração

Mas você
Nem sei mais
O que é
Ou o que será

Talvez nunca tenha sido
O que eu achei que era

De ficar ignorando
Fingindo ou mentindo
Para mim mesma
Comecei a acreditar
De verdade nessa história
De amor…

Eu inventei tão bem
Que agora virei refém
De meu amor
Platônico
Por alguém…

Você me manda um Oi…
Minha vez de brincar com você…

Aquele segredo

Padrão

atras da porta

Você me tocou?
Lembro
Que um dia
Atrás de uma porta

Eu não consigo me lembrar
Mas eu sei que alguma coisa
Que mudou tudo
Da infância
Da inocência
Da doçura

Alguma coisa aconteceu
Atrás daquela porta

Foi alguma coisa grave
Que outras pessoas fizeram silenciar
Confundiram as percepções
Disseram que não era nada demais

Era sim
Porque até hoje
Essa coisa toda está no meu corpo
Preenche minha mente
E me paralisa

Me faz chorar dia sim
Dia não
Me faz não fazer
Me faz não ter coragem
E me escondo

Nas roupas
Nas palavras
Na comida
Na vida

Ela foi amarga desde o começo

Como alguém tem coragem?

E desde então a vida acabou.

Quem se importa?

Padrão

cemitério

Me desejaram um bom dia
Uma pessoa que eu nem sei quem é

Mas ela me desejou
Um bom dia

Ela nem sabe
Que eu não sei o que é esse dia
Do que se trata comemorar alguma coisa

Porque quando eu chego em casa
Tudo o que eu faço lá fora
Fica lá fora

Como uma máscara que eu uso
Diariamente
Com sorrisos e palavras
Delicadezas e sentimentalidades
Verdades e seguranças

Eu sou realmente a prova de tudo isso mesmo

No final das contas
Um dia ouvi que o escritor não representa a sua obra
No meu caso isso serve

Não represento nada
Represento a farsa
Do fracasso dos aspectos
Que subjugam a abstraem

Mas eu não posso falar isso em voz alta
Isso não pode ser colocado em lugar algum
Isso não importa a ninguém

Nem a pessoa da porta ao lado
Nem a pessoa que mora do outro lado do mundo

Mas no final das contas
Ninguém se importa mesmo

Se eu não estiver mais aqui amanhã
No final das contas
Ninguém simplesmente
Se importará…

Ninguém se importa.

Demorei, mas liguei

Padrão

help.jpg

O seu telefone eu sabia de cór
Sei ele desde que eu te liguei a primeira vez…

E desde então, muito tempo passou
Eu esqueci de ir um dia
Esqueci de ir de novo
E assim foi até que você deu nome
Para o que eu não sabia o que era

Eu desisti
Me lembro das desculpas
Que eu inventei para não ir mais

E das responsabilidades que eu quis
Menti e inventei
Mas eram a minha verdade
E mergulhei de cabeça
Para me curar

Entre idas e vindas
Verdades e Mentiras
Saudade e Certezas
Eu ia e vinha
Para lá e para cá

Nos esbarramos algumas vezes
Mas nada de certo…

Apenas que eu ainda tinha você
Lembrava do seu contato…

De repente o céu ficou cinza
A chuva veio com o vento forte
Me encolhi esperando a chuva passar

Já chove já três meses
Eu sei onde começou
E ela inundou
Devastou tudo o que havia

Perdida nesse lugar
Eu lembrei do seu número
Guardado na minha caixa de primeiro socorros
Caixa de Salva Vidas

Tremi
Peguei o telefone
Disquei
Deixei o recado…
Tremi…

Você me ligou
E sua voz sorriu para mim
Me abraçou
E eu entendi

Obrigada
Por jogar a bóia…
Eu aceito.

Você me aceita?