Amor

Padrão

amor1

Oi
Você nunca soube e nunca vai saber
Um dia eu te escolhi
Quis querer te

Dos olhares que se cruzaram
E da estranha sensação
De que um dia
Já houve nós dois

Daquelas certezas
Que não se explicam
Das coisas que a vida oferece
E a gente só pode agradecer

Da sua presença
Do seu sorriso
Do lugar que você ocupa
Em sí e na vida

Da leveza que existe
Quando você se faz presente

Do seu sorriso
O sorriso mais lindo
Do seu abraço
O melhor abraço

Das suas palavras
Que são enigmas
Que finjo não entender
Para deixar a conversa nos levar

Mas finjo não entender
Que você quer algo
Que não sei se poderei oferecer
Porque desta condição
Eu me recuso a pertencer

Então
Finjo não saber
Finjo não entender
Finjo não perceber

Dessa loucura
Me equilibro
E você acredita

Mas se não fosse assim
Eu prometo que aceitaria
Eu prometo que sim

Sim
Eu te daria meu mundo
Em troca do seu.

Você pediu

Padrão

fim-1

Eu fiz tanta força
Sem saber
Que eu estava
Perdendo tempo

Eu fiz tanta gentileza
Porque achei
Que era assim

No final das contas
Eu menti
E nem sabia que era
Ou se tratava disso

Eu menti
Menti despretensiosamente
Descaradamente
Absurdamente

Para mim
Sobre você

Quando a história toda
Era a verdade
Do que você me mostrou
Ou do que eu percebi

Mas eu queria ver
Só o que eu queria ver

E você
Disse
As palavras mágicas

Do que eu não sabia
Que eu já sabia
E que eu achava
Que podia mudar
Ou podia fazer
Diferente

E depois desse dia

O seu sim
Me fez não

O seu sim
Me tornou fim

E sem você perceber
Eu parti

Para nunca mais voltar.

Não olhe embaixo da cama

Padrão

cama1

Entendi tudo
Sua loucura ultrapassou o limite
E agora você transborda
A maldade que você mesma criou

Das vozes que falam ai dentro
Do que te dizem para fazer
E lhe alertam que é urgente
Preciso tomar cuidado
Não confiar em ninguém
Desconfiar de tudo

Mas do que mesmo?
Porque você criou tudo isso
E agora tem que ficar se esquivando
Lembrando e mentindo
Se equilibrando entre as coisas
As maldades que você mesma inventou

E está sentido na pele
O gosto amargo do que você falou
Do que você lançou no tempo
E plantou no coração
Da única pessoa que um dia poderia

Mas nunca será
E sua maldade transborda
Fazendo do amor a manipulação
A mentira morada segura

Controlando os passos
As respirações
Buscando rastros
Migalhas e se contentando
Em ser o que acha que é

Mas deste jogo
Da manipulação
Você é apenas aprendiz

Pois para te ter por perto
O mestre se tornou jogador
E mexe as peças e palavras
Como ninguém

E nesse equilíbrio
Do movimento das peças
Das artimanhas e manobras

Você perdeu
Esse jogo você perdeu faz tempo!
O jogo acabou faz tempo!

E sabe o que te resta?
Migalhas!
Sim
Migalhas!
Pois é isso o que você é!
Migalhas!

Então não tenha pressa
Mantenha a calma
O seu segredo já foi descoberto

Apenas
Respire fundo
E continue
Apenas
Apreciando a vista

Pois o seu tempo
Acabou.

Das palavras que eu não te disse

Padrão

amor-puro

Do que eu vivo escrevendo
Das palavras do que um dia houve de ser
E das coisas que foram
E não são mais
Mas parecem que ainda são

Esqueço de dizer
Que hoje há você
Como se fosse uma maneira
De preservar
O que eu tenho
O que eu sinto
E o que transborda
No meu coração

E sim
Hoje você completa
O que eu não sabia que faltava
Do amor
Que um dia eu senti
Mas hoje
Você me mostra
Que não era e nunca houve de ser

E no que não deveria
Nunca ser comparado
Hoje é perfeito

Pois há você
Naquele dia que nos cruzamos
Como de uma maneira despretensiosa
Na conversa sobre bobagens
Que nos levou ao encontro
Do que era o mais importante
E fomos descobrindo
Que havia muito mais

E as conversas viraram horas
Dias e encontros
Como reencontros de palavras
De desejos e almas
De certezas com incertezas

Do que um dia houve de ser medo
E não querer mais

O despertar de algo
Aconteceu

E hoje
Você inunda
Transborda
Ilumina

E faz a parte da minha vida
Que um dia não houve mais
Ser a minha melhor parte
Minha melhor metade
Meu melhor momento

E o melhor sentido da minha vida
Do dia que amanhece
Ao momento do apagar para dormir

Como se a vida encaixasse
O sentido se fizesse
E a certeza se apresentasse

Você
Na troca
No encaixe
No olhar
No ser

Da certeza
Que valeu a pena
Você!

Cacos da saudade

Padrão

cacos-em-saudades

A tua saudade me invadiu
Como um engasgo
Um susto
Uma maldição

De onde você surgiu?

Porque eu te escondi
Em um lugar que ninguém
Ou nada
Poderia saber


Onde nem eu mesma mais sabia
Que havia de haver você

E me encara
Com aqueles olhos
Lindos olhos
Na minha cor predileta

Que brilham
Reflexo da perfeição

E de repente
Me pego tonta
Perdida e aflita

Com o coração acelerado
E a saudades
Que teima em tentar me derrubar
Machucar e maltratar

E eu finjo ser forte
Finjo que está tudo sob controle

Mas que nada
Nada há de ser controlado
Quando há você

Quando você surge
E me encontra

Minhas pernas tremem
Meu coração acelera
Minha boca fica seca

E as palavras
Palavras?
Elas fogem
Elas me deixam
Elas tremem

E eu me parto
Em pedaços
Que demorei anos para juntar

Dos caquinhos que ficaram
Do fim
Da sua partida
Do dia que você pediu tudo de volta

E da saudade
Que acha que manda aqui
Tenho apenas uma coisa a dizer
Você venceu!

Coração cadenciado

Padrão

dois-coracoes

Será que algum dia
Vai fazer sentido
Nós dois?

Do querer estar
Do planejar
Pensar
E desejar

De estar no mesmo lugar
De fazer as mesmas coisas
De não fazer nada

Daquele equilíbrio
Que faz ter sentido
A lua e o Sol
A gravidade
E o doce do brigadeiro

De acordar de manhã
E fazer a vida valer
De fazer a vida ter sentido
De ter sentido e vontade

De uma vida cheia de possibilidades
De doçura e confiança
De verdade e respeito

Onde dois corações
Batem no compasso
Na sintonia
Na candência
Como um só.

Será que haverá isso um dia?

(Isso existe mesmo?)

Submissão de você

Padrão

espero vc ligar.png

Largada na vida
Fazia tempo que não ficava

De esperar sua ligação
Um sinal qualquer seu
Que me peça
Me obrigue
Ou me corrompa
A estar ao seu lado

Daquela vez que você
Mandou mensagem despretensiosa
De querer só uma conversa
Uma amiga ao seu lado

De falar dos velhos tempos
Do que um dia houve de ser
Dos planos que tínhamos
Para uma vida inteira

Dessa armadilha
Eu sei fazer parte
E deixei o tempo correr
Tudo articulado
Para que pudesse
Ocorrer novamente a despedida

E a tentativa de fazer parte
De acreditar que era você
E que ainda havia de ser nós
De ter nós
De existir nós
De encaixar
De perceber

Sim
Você reconheceria
Sim
Você me amaria
Sim
Você voltou

Não
Você se despede

Até um dia
Quem sabe a gente se esbarra por ai de novo

Desse vazio
Eu faço morada
E conheço muito bem

Sei esperar
Vou te esperar
Vamos nos esbarrar sim

Isso eu te prometo
Pela eternidade.