Fingi que estava ouvindo

Padrão

silêncio-1

Ontem você veio aqui
Foi legal
Até que foi

Mas houve um momento
Muito maior do que eu esperava
Que você começou a falar
E disparou o que havia
E foi longe demais

Não penso nas consequências
Não pensou que poderia rasgar
Ir mais longe do que deveria

E foi mais uma vez

E durante o caminho
Quando estávamos partindo

Pensei em como havia me metido lá
Como foi mesmo que eu deixei
Isso ir tão longe

Quando te coloquei no altar
Fiquei ajoelhada tempo demais
Devo ter sofrido um apagão

E agora que acordei
Descobri
O quanto existe de chatice
No que é você

E não é a toa
Que tudo está como está

Eu deixei
Nessa história
Definitivamente
Eu acreditei
E deixei ir
Longe demais.

Anúncios

Morria de medo e eis que chegou minha vez…

Padrão

silencio

Quando eu via blogs que eu amava ficarem em silêncio por algum tempo, meu coração até chegava a doer um pouquinho, pois eu ficava pensando, o que poderia levar uma pessoa a criar um blog e depois deixar ele de lado?

Eis que minha vez chegou….

A vida começou a ficar corrida de um jeito que eu sempre quis, mas parecia algo tão longe e improvável…

Então, agora é possível que esse canal fique um pouquinho em silêncio.

Mas ele continuará aqui, não vou desativar, talvez só deixe ele paradinho por alguns dias, porque meu coração bate forte por ele.

Tenho também que produzir conteúdo para o blog de psicologia e ele também está meio capenga, rs… – marilicezanato.wordpress.com 

Então, vou organizar a agenda, e fazer as coisas voltarem para os eixos…

É temporário…

Prometo prometidinho!

🙂

A Constelação que você me deu

Padrão

stars-in-our-sight.jpg

Nem sei a hora

Hoje o relógio despertou

Era mais tarde

Do que era para ser

Perdi a hora

Mas não queria ir

Querer eu queria

Mas passou

E você chegou

Atrasado

Do horário combinado

Eu nem sabia

Que chegou

Na hora certa

No certo do tempo

Do que era e tinha

Abriu um sorriso

Abriu os braços

Abriu o coração

Me deu palavras

Me deu um pouco de mim

Que havia lá atrás

Dos desencontros

Me dou conta

Faz parte

Do que é

De onde viemos

E está tudo bem

Me ensinou

Eu ensinei

Na despedida

Não quis partir

Mas era a hora

De ir

E você

Partiu

Me deixou inteira

Do que houve de ser

Consertado no seu coração

Meu coração

Completo ficou

E leve

Voltou a bater

Para lá

Me trouxe

Esperanças

E o recado que pedi

A Ele

Você foi

E nem sabe…

Demorei para entender

Padrão

Morpheus-641x506

Agora

Escrever ficou
Assim
Sem lugar
Sem vontade
Sem sentido

Eu sempre

Agora as palavras
Ficam sem entender
Ou explicar

Porque as drogas
Preenchem
Fazem sentido
Fazem algo

Mas me deixam longe
Do que tem sentido

Para viver no mudo real
Eu preciso ficar assim

Com as palavras alheias
Tingidas de cores
Que apagam com a chuva

Fiquei assim
Sem saber
O que tem que ser
O que é
O que foi

E até pensei
Em apagar tudo

Então
Vou continuar
Ficar quietinha
E continuar
Com a dose
De 20mg por dia

Até o dia
Que
As palavras
Morrerem de vez
Em mim…

Quem sabe
Se assim
A vida
Haverá de ser
Finalmente
Minha….

Ainda digo sim

Padrão

te amo
Prometi tanto
Tanto amor
Que quase queimei
De tanto arder
No sentir
Do sentimento
Que um dia houve

Achei um lugar
Onde ainda havia
Muito do que um dia houve

Achei as palavras
Do que um dia prometi

E foram tão bem prometidas
Tão bem ditas
Tão perfeitas

Que sem querer
Não percebi
Que o tempo passou

E você partiu
Partiu elas
Não aceitou
Não entendeu
Não tinha como ser…

Eu te prometi
A vida
E ela foi embora
Partiu com você

E me deixou
Aqui
Só…

Será
Que ouso saber
Se vocês estão
Bem
E felizes
Sem mim?

Você se basta, né?

Padrão

house

Juro que tentei
Acreditei
Mas
Como você consegue?

Foi você
Mas eu esperava
Outro

Então
O lugar está certo
Mas minha cabeça
Outros

Você pensa
Que pensa
Que sabe
O que diz

Mas saiu
As palavras
Rasgaram
Quebraram
Arrancaram tudo

Você me pergunta
O que foi
O que é
O que eu tenho

Digo a primeira palavra
E você termina a frase
Com suas palavras

Então
Termino
Onde recomeçamos

Você não sabe
Mas nem precisa

Você se basta
Não é mesmo?

Dois anos

Padrão

foto-2-anos

O blog começou com uma brincadeira, uma maneira de escrever sobre coisas que eu gostava, que eu queria expressar, que precisavam ter sentido ou dar sentido para mim.

Hoje, já são quase seiscentos textos publicados, falando sobre as loucuras de ser a pessoa que eu sou.

Dando vazão, acolhendo, resgatando, fazendo sentido, dando sentido…

Palavras amigas, palavras queridas, meu porto seguro, meu lugar predileto no mundo.

Das palavras que saltitam, multiplicam, silenciam e dão a exata medida do que eu sou na vida, nos caminhos do meu coração.

E hoje é mais um dia de celebrar.

Dois anos de blog, dois anos de vida, dois anos de um dos meus lugares prediletos no mundo.

A meus amigos, obrigada.

Aos seguidores, obrigada.

Aos curiosos silenciosos, obrigada.

Aos que leem e nada dizem, obrigada.

Aos que odeiam, obrigada.

A menina que começou a ler desde pequena e escolheu as palavras como companhia: Muito obrigada.