Morria de medo e eis que chegou minha vez…

Padrão

silencio

Quando eu via blogs que eu amava ficarem em silêncio por algum tempo, meu coração até chegava a doer um pouquinho, pois eu ficava pensando, o que poderia levar uma pessoa a criar um blog e depois deixar ele de lado?

Eis que minha vez chegou….

A vida começou a ficar corrida de um jeito que eu sempre quis, mas parecia algo tão longe e improvável…

Então, agora é possível que esse canal fique um pouquinho em silêncio.

Mas ele continuará aqui, não vou desativar, talvez só deixe ele paradinho por alguns dias, porque meu coração bate forte por ele.

Tenho também que produzir conteúdo para o blog de psicologia e ele também está meio capenga, rs… – marilicezanato.wordpress.com 

Então, vou organizar a agenda, e fazer as coisas voltarem para os eixos…

É temporário…

Prometo prometidinho!

🙂

Anúncios

Eu te amo, sempre te amei…

Padrão

amor da minha vida.png

Você
Sentada
Me olhando
Com aqueles olhos
Que brilham
Que ainda acreditam
E sabem
O que necessário
E cabe
No seu coração

Eu te olho
Com os olhos da vida
Que passou
Com os vendavais
Com os livros
Com a sabedoria

Com parte do que você
Sonhou
Desejou
Acreditou
Nunca imaginou

Eu te olho
Com meus olhos
Cheio de amor
De amor e de amor

E te agradeço

Pelo que você fez
Pelo que você sonhou
Pelo que você construiu
Pelo que você acreditou
Pelo que você amou
E por tudo
Tudo
Tudo

E hoje
Te estendo as mãos
Te peço
Vem

Vem comigo

Minha vinda
Minha vida
Meu futuro
Minha história

Só faz sentido
Só tem sentido
Só é
Se tiver você

Vem…
E me mostra
O futuro
Que você sonhou
Pra gente….

Amor fim

Padrão

amor tumulo

Já pensei

Milhares de vezes

Não posso te dizer
Nunca mais

Que aqui jaz
No dia que eu for
Ou

No dia que você
For

Nunca saberá
Do amor
Que prometi
Eterno ser

É promessa
E cumprida
Até agora…
E até meu último dia
Aqui…

Mas sei
Que sentimentos desses
São para sempre

Mas não tenho como
Te dizer
Não sei de você

Se é vivo
Se ama
Se tem filhos
O que fez
O que faz

E da promessa de ser para sempre
Até a morte nos separar
De sermos únicos
E fiéis
Ficou no papel
Da promessa
Com dedinhos cruzados

Mas não para mim

Então
Hoje
Eu rezo
Toda noite
Para Deus
Cuidar de você

Já que de mim
Não tem mais lugar

Do para sempre
Que virou abismo
Do para sempre
Que é nunca mais

Uma vida
Nunca mais de você
É morte
Dia a dia
Para mim.

Alianças

Padrão

alianca.jpg

Você lembra de mim?

Pensa em mim?

Sabe que um dia houve

De uma história

Que eu acreditei que era

Para sempre…

 

Você lembra

Que um dia

Me deu um anel?

Me deu dois anéis?

Me deu três anéis?

Me deu quatro anéis?

Me deu cinco anéis?

 

E os anéis todos foram

Partidos

Perdidos

Vendidos

Vencidos

 

Pela mentira

Do que você prometia

Do que você queria

Garantir

Prender

Manter

Fazer sentido…

 

Preenchendo

Com promessas

O que era vazio

Em circunstancias

Em verdades

Em amores

Me deu todos os anéis

De todos os amores

Que cabiam

Ou haviam

Em seu coração

 

Hoje…

Eu não tenho anéis

Não tenho amores

Não tenho promessas

 

Hoje

Eu não acredito

Mais

Em amor…

 

Ainda digo sim

Padrão

te amo
Prometi tanto
Tanto amor
Que quase queimei
De tanto arder
No sentir
Do sentimento
Que um dia houve

Achei um lugar
Onde ainda havia
Muito do que um dia houve

Achei as palavras
Do que um dia prometi

E foram tão bem prometidas
Tão bem ditas
Tão perfeitas

Que sem querer
Não percebi
Que o tempo passou

E você partiu
Partiu elas
Não aceitou
Não entendeu
Não tinha como ser…

Eu te prometi
A vida
E ela foi embora
Partiu com você

E me deixou
Aqui
Só…

Será
Que ouso saber
Se vocês estão
Bem
E felizes
Sem mim?

Vazio nós

Padrão

vazionos
Prometi
Acreditei
Diz que sim
Comecei
Fui um pouco
Foi ao meio
Mas deixei

Deixei sempre
Essa sempre foi
A verdade
O lugar
A certeza…

Deixei
De mim
O que era seu
O que eu acreditei
Que deveria
Poderia
Haveria

Parti
Em mim
De mim
O que eu não sei
Para onde não foi

Sempre
Esperando
O lugar
O olhar
A aprovação
A palavra

Descobri
Que promessas repetidas
Não mudam direções
Não mudam vidas
Não são nada
Apenas
São vazias

Dessa vida
Que agora é essa
Deste lugar
Vazio…

Lembra de mim?

Padrão

SAUDADE
Lembra de mim?
Um dia fomos nós
Eu e você
Daquela vida
Que eu queria só para mim
De você
Que eu achava que era meu
Só meu
E de mais ninguém

Mas nunca foi
Sempre fomos
Mais do que dois
Muito mais do que todos
Os que cabiam
Entre nós…

E eu achava
Que poderia ser
A guardiã
O porto seguro
O lugar do amor
Na sua vida…

O amor
Já estava por ai
Em todos os lugares
Eu era apenas mais um
Dos lugares que você estava
E prometia

Na verdade você disse que me amava
E eu entendi que era única
Você disse que eu era especial
Eu entendi que seria para sempre

E assim
Ainda espero
Você voltar
Para me dizer algo
Que possa fazer sentido
No lugar
Que eu não escuto
Do lugar
Que não há
Do lugar…

Em que eu possa ser
Algo
Ao seu lado
Para sempre…