Amor – II

Padrão

oiamor

Você nunca soube
E nunca vai saber

Mas eu um dia pensei que talvez
Das mensagens que você mandava
De “bom dia”

Quando você aparecia do nada
E os olhares se cruzavam
Eu me sentia uma adolescente

E nunca consegui entender
Como é que isso chegou a acontecer

Mas quem disse que precisa ter sentido?

Com o tempo
Acabei me afastando
Reticente
Não sou dessas
Respeito o que há de ser respeitado

Deixei o tempo passar

Mas de alguma maneira
Mesmo que pouco
Considerei alguma possibilidade

E inventei mil desculpas
Para nunca dar certo

Com o passar do tempo
A razão voltou a imperar
E tomar conta do que nunca houve de ser

Com o passar do tempo
Você volta a me procurar

Me pergunto do que se trata tudo isso

Pergunto a Freud, Lacan e seus amigos
Pergunto a minha fé
Me perco nas interpretações

Me contento com a resposta
E já sei que nesta vida
Só haverá de existir
Desejo e ilusão
Tudo no mesmo lugar

Respiro fundo
E me deixo contentar
Para que o coração não morra
Do que nunca poderá ser.

Anúncios

Amor

Padrão

amor1

Oi
Você nunca soube e nunca vai saber
Um dia eu te escolhi
Quis querer te

Dos olhares que se cruzaram
E da estranha sensação
De que um dia
Já houve nós dois

Daquelas certezas
Que não se explicam
Das coisas que a vida oferece
E a gente só pode agradecer

Da sua presença
Do seu sorriso
Do lugar que você ocupa
Em sí e na vida

Da leveza que existe
Quando você se faz presente

Do seu sorriso
O sorriso mais lindo
Do seu abraço
O melhor abraço

Das suas palavras
Que são enigmas
Que finjo não entender
Para deixar a conversa nos levar

Mas finjo não entender
Que você quer algo
Que não sei se poderei oferecer
Porque desta condição
Eu me recuso a pertencer

Então
Finjo não saber
Finjo não entender
Finjo não perceber

Dessa loucura
Me equilibro
E você acredita

Mas se não fosse assim
Eu prometo que aceitaria
Eu prometo que sim

Sim
Eu te daria meu mundo
Em troca do seu.

Para uma princesa

Padrão

coroa

Aquele dia de começar
De entrar no lugar novo e desejado
Você me recebeu
Abriu as portas para mim
E deixou eu entrar

Mesmo desconfiada
Você deixou eu entrar
E me ensinou do A ao Z

Mas me ensinou o que ninguém um dia ousou
Me deu sua amizade
Uma parte de seu coração
Seu melhor sorriso

Das palavras que você me ofereceu lá atrás
Do conforto em manter tudo sob controle
E de ter todas as respostas na ponta da língua

E hoje
Resumiu sua história de vida
Em um tempo de um almoço

Me ofereceu
Novamente o que só você sabe
Mas a emoção disso que não é explicado
Dessa sintonia que sempre houve
Sem nunca nenhuma palavra ter sido dita

E hoje
Eu
A pessoa das palavras
Ficou sem elas

Fiquei sem palavras
Diante do seus olhos marejados
Da expressão de felicidade
Da alegria e da certeza
Que sim…

Nesta vida
Em outras vidas
Nesta lugar
E em outros lugares

Voltaremos a nos encontrar
Mesmo distantes
Mesmo ausentes
Mesmo com vidas opostas

O nosso caminho
É essa conexão de sentimentos
Essa cumplicidade
Essa comunhão
Essa explicação sem palavras

Porque é amor
É amizade
É verdade e certeza…

E me resta apenas
Agradecer…
A única palavra que me resta: Agradecer!

Das palavras que eu não te disse

Padrão

amor-puro

Do que eu vivo escrevendo
Das palavras do que um dia houve de ser
E das coisas que foram
E não são mais
Mas parecem que ainda são

Esqueço de dizer
Que hoje há você
Como se fosse uma maneira
De preservar
O que eu tenho
O que eu sinto
E o que transborda
No meu coração

E sim
Hoje você completa
O que eu não sabia que faltava
Do amor
Que um dia eu senti
Mas hoje
Você me mostra
Que não era e nunca houve de ser

E no que não deveria
Nunca ser comparado
Hoje é perfeito

Pois há você
Naquele dia que nos cruzamos
Como de uma maneira despretensiosa
Na conversa sobre bobagens
Que nos levou ao encontro
Do que era o mais importante
E fomos descobrindo
Que havia muito mais

E as conversas viraram horas
Dias e encontros
Como reencontros de palavras
De desejos e almas
De certezas com incertezas

Do que um dia houve de ser medo
E não querer mais

O despertar de algo
Aconteceu

E hoje
Você inunda
Transborda
Ilumina

E faz a parte da minha vida
Que um dia não houve mais
Ser a minha melhor parte
Minha melhor metade
Meu melhor momento

E o melhor sentido da minha vida
Do dia que amanhece
Ao momento do apagar para dormir

Como se a vida encaixasse
O sentido se fizesse
E a certeza se apresentasse

Você
Na troca
No encaixe
No olhar
No ser

Da certeza
Que valeu a pena
Você!

Vida louca, vida leve…

Padrão

eu-comigo

Tentando fingir que a ficha não caiu
Que eu posso voltar no tempo
E fingir que nada disso aconteceu

Que eu investi tudo
Meu tempo
Minha atenção
Minhas economias
E tudo o que eu acreditava

E agora
De um minuto para outro
Quando o ponteiro avançou

E a vida se encaixou em mim
No meu corpo
Nos meus sentimentos
Nos meus pensamentos

A minha alma
Se encontrou em mim
No meu ser
E na minha existência

Me dei conta
Que só agora
Quatro décadas depois
Da grande chegada

Que tudo está errado
Tudo

Do começo ao fim
Das risadas e histórias
Das mentiras e desencaixes
De tudo o que acreditei

E agora
Sim
Agora
Tudo acabou

Sob essa nova perspectiva
Que se apresenta
De um vazio de possibilidades
Desse sol que nasce no horizonte

Agora me vejo
Despida
Sem rumo
Sem verdades
De tudo o que eu acreditei

Agora a vida é nova
E tudo faz sentido
Mesmo sabendo que não há

E tudo o que houve
Não serve mais
De todos que amei antes
Não foram
E todo tempo

Não
Nada foi perdido

Respirar fundo
Erguer a cabeça
E permitir
Essa nova vida

Que sempre esteve aqui
Eu que nunca tinha visto.

Eu vou

Padrão

moca-amor

Me liga
Me chama
Me conta um segredo
Coisa qualquer

Me faz estar perto
Me faz estar ao seu lado

Me queira bem
Me tenha bem
Seja meu bem
E eu serei seu bem
Eu serei
Sei bem

Mesmo aqui
Eu sou seu bem

Desejo boa noite
Desejo um bom dia
Desejo bons sonhos
Desejo você

Seus olhos
Suas mãos
Suas palavras
Seu gesto
Seus mistérios

Estou aqui
Te esperando
E se você pedir
Eu vou

Se você ligar
Eu vou

Se você

Eu quero
Na hora que for
No tempo que houver
No rascunho
No paralelepípedo
Na frente do mar

Eu vou
No querer ser
No querer ver
E mesmo o que for

Do suspiro
Do piscar dos olhos
Do tic tac do relógio

Eu estou aqui

A hora que for
Na hora que for
E o que houver
No tempo

Eu vou…

É só você chamar
Eu vou.