(2009) – Olha o que eu achei

Padrão

amor voc~e

E não eh que ontem tivemos uma recaída…
Um encontro… Um momento doce, sereno, intenso e colorido…
Um momento de viver o que era mais delicioso e intenso do encontro…
O gosto, o toque, o calor… Até mesmo por um instante resgatei um rememorei um porto seguro que um dia acreditei ter em teus braços e em sua companhia.
Posso dizer que foi muito bom estar ao seu lado e pela primeira vez na vida: não esperar o dia de amanhã, não desejar que tudo fosse para sempre, que você seria meu, que você seria fiel… Que o passado se apagaria como que um encanto.
Não… Hoje o dia foi real… O passado foi real e passou… Ontem foi real e passou…
Mas me fez imensamente feliz estar por mais uma vez em seus braços.
Braços esses reais, sem véus, sem expectativas e sem fantasias… Apenas seu beijo, braços, toque, gosto reais… Por que só isso ficou… Ainda bem!!!!

 

Anúncios

Você de novo

Padrão

cadeira-criado-mudo

Você apareceu na minha cama
Do meu lado
Estava me observando
Quase um abraço

Neste lugar
Eu me lembrei
Do que um dia houve de ser
O que era
Nós…

Respirei fundo
Até lá eu me peguei
Com medo

Como seria possível
Nós de novo?
Nós juntos?
Nós no nosso lugar…

Olhei ao redor
Pensei em voltar a dormir
Você me cobriu

Perguntei alguma coisa

Sua respostas
A verdade veio até mim
Você mentia
Para variar….

Esse é o seu lugar
Sempre foi
E sempre será

Olhei de novo ao redor
E o medo não era real
Era apenas o que um dia houve
E ainda faz morada
Dentro do meu coração

Peço por favor
Não volte a aparecer
Em meus sonhos
Você não é mais bem vindo…

De novo?

Padrão

amor de outra vida

Por onde você andou todo esse tempo?
Como se de repente você quisesse
Se lembrasse e voltasse
Aparecendo nos meus sonhos

Andando por lugares que nunca estivemos
Mas que fez parte de algo no passado

Algo sombrio
Estranho e um pouco perdido

Você me conduzia para uma entrada
Um lugar que era
Mas não assim

Você me ajuda
Entramos
Nos aconchegamos

E o de sempre
O misto da saudade
Com a vergonha
Do que pode
E do que nunca pôde

Quase como uma cena real
Do que um dia houve de ser
E algo que nunca aconteceu

Como se a nossa história
Nunca pudesse ter sido nossa
Mas era de todos
Os que deixávamos participar

De todos os que não sabiam seu lugar
Porque nós não sabíamos o que era
Talvez nunca houvesse nós dois

Então foi sonho
Você me visitou nos sonhos?
Ou eu
Continuo esperando você?
Uma volta?
Uma nova tentativa?
Alguém me dizendo que foi tudo um engano
E que você ainda me ama
Mudou e quer uma nova chance

De você me querer
Como eu sempre te quis?

Acho que entendi
Eu não quero acordar
Desse sonho que eu reedito
De tempos em tempos…

A realidade
Engole
Dói
E maltrata

Sinto sua falta
Sinto muito…

Nós três (Quase um ato falho)

Padrão

amor-que-fim

Você nos meus sonhos
Com um abraço sereno
Do adormecer no sofá
Nós dois juntos
No calor do abraço

E no segundo ato
Fazendo as malas
Mexendo em gavetas
Procurando alguma coisa
Das coisas sem graça que haviam de ser

E procurar em cômodos
Que estavam vazios
E não faziam sentido

Na praia
O beijo na testa
Como um dia houve de ser na despedida

E de mãos dadas
Você me pede para ficar
E aceitar
O que você tinha para me oferecer

E lhe retribui o abraço
E sorri
Com o coração em paz

Sabendo que na história
O fim já era sabido

E você me disse
Que neste lugar somos só nós dois

E se eu te aceitar
Do outro lado
Teremos que ser nós três

Te abracei com meu melhor abraço
Agradeci sua sinceridade
E o que sempre teve para me oferecer…
De fazer parte da sua história
Sempre foi fazer parte de três

E disse “Eu te amo”
Como o eu te amo mais limpo
Sincero e amoroso de meu repertório

Com um sorriso no rosto e em paz

Despertei.

Me diga seu nome

Padrão

TELEFONEX

Adormeci
E no conforto da minha cama, entre meus pensamentos e cobertor
Sonhei

Um sonho de muitos significados e sentimentos
Tudo misturado e revivido
Quando o telefone toca

E era você
Me perguntando como eu estava
E me falando coisas que eu não entendi ao certo

Me cobrando algo que não cabia mais no contexto
E eu não conseguia me lembrar do seu nome
Mas me lembrava muito bem da sua voz

E tudo o que ela traz no sentimento
No desconforto da saudade
Que brinca e faz maldade com meu coração

A saudade de saber que nunca mais haverá de ser
De caber em meus braços e em minha vida

Daquela história que não cabe
Porque simplesmente nunca coube
E nunca poderá ser sentida
Porque não existem palavras para explicar
Sentimentos para representar
E sentido em nada disso

Da saudade que só ela consegue explicar
Exatamente o que se passa dentro do meu peito

E na ligação, que eu te pedia para relembrar seu nome
Na angústia da saudade
Misturada com a curiosidade que me desorganizava
De querer saber porque você estava me ligando

Acordei…

O ex Semideus

Padrão

vazio

Sabe, eu te achava tão maduro.
Tinha você como uma referência para tudo o que eu pensava em fazer.
Admirava a sua forma de pensar, a sua forma de se expressar.
Você era uma das pessoas mais articuladas e inteligente que eu achava conhecer…
No final das contas acho que te endeusei.

E dai para a queda foi apenas um triz…

No dia que nos encontramos e você se mostrou frágil, indeciso, rancoroso e cheio de criticas
Fiquei tão estranhada com toda aquela situação.
Onde estava a pessoa que eu admirava tanto?
E para piorar um pouco, você pediu minha opinião e meus conselhos para resolver uma situação corriqueira, até estupida, por assim dizer.
E no final, os meus conhecimentos, as minhas palavras é que foram o foco da noite
Fiquei triste, pois achei que tinha muito a receber, mas na realidade, quem acabou oferecendo mais fui eu.
E novamente voltei para casa sozinha…

Pesadelo de amor

Padrão

a bela adormecida

O amor é a coisa mais linda do mundo…

Seu beijo é o melhor beijo do mundo!

Seu perfume!

Quando estamos juntos, tudo é mágico…

E nossos passeios, cinema com direito a pipoca e beijinhos…

Mãos dadas em nossos lugares prediletos…

Nossa viagens…

E nossos planos para o futuro, com direito a vestido branco, festa e bolo!

E não mais do que de repente, você me diz coisas maravilhosas e completa:

“Quando estamos juntos, minha vida é maravilhosa. Ao seu lado eu consigo esquecer todos os meus pobremas“.

 

Oi?

Acordei atordoada….

Nem sonhando eu tenho paz…