Amor – II

Padrão

oiamor

Você nunca soube
E nunca vai saber

Mas eu um dia pensei que talvez
Das mensagens que você mandava
De “bom dia”

Quando você aparecia do nada
E os olhares se cruzavam
Eu me sentia uma adolescente

E nunca consegui entender
Como é que isso chegou a acontecer

Mas quem disse que precisa ter sentido?

Com o tempo
Acabei me afastando
Reticente
Não sou dessas
Respeito o que há de ser respeitado

Deixei o tempo passar

Mas de alguma maneira
Mesmo que pouco
Considerei alguma possibilidade

E inventei mil desculpas
Para nunca dar certo

Com o passar do tempo
A razão voltou a imperar
E tomar conta do que nunca houve de ser

Com o passar do tempo
Você volta a me procurar

Me pergunto do que se trata tudo isso

Pergunto a Freud, Lacan e seus amigos
Pergunto a minha fé
Me perco nas interpretações

Me contento com a resposta
E já sei que nesta vida
Só haverá de existir
Desejo e ilusão
Tudo no mesmo lugar

Respiro fundo
E me deixo contentar
Para que o coração não morra
Do que nunca poderá ser.

Patuá

Padrão

patua

Estava pensando em inveja
Quando as pessoas falam essa palavra
E eu fico tentando entender
O que isso quer dizer?

Outra palavra que eu não entendo
É dó….
Não sei o que significa ter dó…

E fico imaginando o que isso quer dizer
Onde tudo isso se encaixa
Do que se trata tudo isso

Dos lugares
Que as pessoas acham que os outros
Desejam ocupar
Ou ter
Ou pertencer
Ou ser
Ou não ser
E não pertencer
Ou ter
Ou ocupar…

Ou sei lá o que

Porque se todo mundo tem uma vida
Então todo mundo pode tudo
De ser ao não ser
Do ter ao não ter
Do querer ao não querer
Do vencer ao não…

Do sim e do não.

Todo mundo tem essa medida
Então inveja e dó
Não tenham inveja
Não tenham dó

Só tenham amor
E muito querer bem
Porque é isso que move o mundo
Isso que move a vida
e isso que faz a vida valer…

Amor que transborda
E preenche…
O resto…
O resto sobra e fim.

E tem motivo?

Padrão

loucura1

Achei que estava tudo bem
Cheguei toda risonha
Acreditando que era o fim

E você me olhou
Me mediu
Dos pés a cabeça

Pensou
Refletiu
Explicou seus motivos

Nem tinha me dado conta
Que eu fingia
Na verdade
Não fingia

Eu me perdia
E fui indo de um lado para o outro
De cima abaixo
Me esquivando
Como se fosse possível

Fugindo de você
Nem tinha me dado conta
Que mentia

Mas a mentira era minha
E para mim

Embarguei a garganta
Os olhos marejaram
Eu me enrolei
Na minhas palavras
E no que eu escondia

O beco já era sem saída
Há muito tempo

E fui eu mesma
Que acabei me esquecendo
De ficar por lá mesmo

Agora
Aguente a dose
Respire fundo
E não olhe para trás.

Aguente as escolhas
E as consequências
Pois não tem caminho de volta…

Lixo

Padrão

lixo

Sinto muito
Ninguém vai te pegar no colo
Ninguém vai cuidar de você
E dizer que a vida vai melhorar

Ninguém vai apoiar seus sonhos
Para piorar as coisas
Ainda vão fazer você escolher errado
Porque as suas escolhas são lixo

Sim
Não só a roupa que você está escolhendo
É a mais feia e não combina com você
Mas tudo o que você toca vira lixo

E assim você vai crescer
Acreditando que seu cabelo é um lixo
Seu corpo é um lixo
Suas escolhas são um lixo
E você só serve para fazer
Suprir e obedecer o que te mandarem

Qualquer pessoa que mandar em você
Qualquer conhecido ou desconhecido
Qualquer um tem mais valor e sabedoria
Mais entendimento e poder que você
Sobre a sua vida e as suas escolhas

Você nasceu apenas para preencher um buraco
Ser uma desculpa
Ser alguma coisa
Mas não era para você viver

Mas você acabou nascendo
E esse plano não estava nos planos

A intenção era só separar

Mas você nasceu
E atrapalhou todos os outros planos

E desde então você é isso
Um atrapalho na vida
Um lixo no meio do caminho
Que ninguém tem coragem de colocar para fora

E enquanto isso
A vida está passando
E o único desejo
É que o fim se aproxime
Para que no final das contas
Esse coração possa parar de sangrar de vez.

Valor? Valor do quê?

Padrão

riqueza

Eu nem sabia que ainda dava para sentir

Eu sabia
Eu sentia
Eu achei
Que por um instante
Poderia estar enganada

Mas foi tiro e queda

Cai de novo
Me contrarie
Me passei para trás

E algo na alma dizia
Vai dar merda…

Mas eu quis ser a queridinha
Fazer a boa samaritana

Mas hoje é seu fim
No fim do que nunca houve de haver
Se é que você tem capacidade para compreender

Da vidinha que você escolheu
Do Universo que você dá as costas
E fica procurando em quem se apoiar
Na verdade em quem abusar
Para usar a sua vida
E deixar quem tem
Se sentindo mal

Hoje eu dedico
Esse texto a você

E da lata do lixo
(Desculpe lata do lixo)
Será o máximo que você poderá ter

Porque escolheu esse lugar
Na sua vida
Nas suas conquistas
No seu coração

Então
Nem neste lugar
Você poderá ter
Da minha vida
Do meu tempo
Dos que comigo estão
E do valor que eu tenho
E você não pode pagar

Verdade
Você nem sabe o significa
A palavra: Valor.

Sobre esse gosto da morte

Padrão

morte1
Eu achei que sabia o que era ser triste
E me senti brigando com um animal selvagem
Tomando uma patada que me jogou longe
Fez meu corpo bater contra o muro
Me fez em pedaços

Senti cada caco
Cada estilhaço
Cada centímetro de dor
Desalento e fracasso

Senti o que eu não sentia
Há muito tempo

De não sentir o ar entrando em meus pulmões
Não sentir o gosto da comida
Não sentir nada

Não conseguir pensar
Ou ousar desafiar o que me destruía

Do fracasso que tem esse gosto
Do prenúncio do inverno
De vento gelado em meu corpo

De não querer mais levantar da cama
E pedir com todas as forças
Para que haja piedade
E uma doença mortal
Se apodere de meu corpo
E me leve
Para longe de tudo isso…

Assim quem sabe
Haverá uma razão para ter vivido tudo isso…

Porque tem de ser

Padrão

porquinho

Sabe

Eu não vou mais te mandar mensagem
Não vou perguntar se está tudo bem
Não vou mostrar que me importo
E que penso em você

Não vou te convidar para um café
Não vou te chamar para um almoço
Nem vou te dar brechas na minha agenda
Para você não responder e não aparecer

E depois de tempos de silêncio
Mandar uma mensagem de Saudades
Ou quanto tempo não te vejo

De repente
Meu coração esvaziou
Para todos
E para você também

E hoje eu entendo
Do que é mesmo tudo isso
Porque hoje eu não tenho nada
E não posso de ofertar vantagens

Hoje eu só tenho eu
E o que restou
E o que eu sou

Talvez isso não seja suficiente
Nem nunca foi
Mas antes valia algo

Então
Me reconsidero
Me retiro
Me reavalio

Vou embora
Para outros lugares
Outros encontros
Outras amizades

E se você não vir minha foto
No aplicativo
Tenha certeza
Agora você faz parte
Do mesmo lugar que me deixou
Quando eu deixei de ter valor
Para você…