Sobre nós

Padrão

bela-flor-lotus.jpg

Eu pensando

O que é

O que há

O que somos

Quando juntos ficamos
Dessa mistura

Do improvável

É até mesmo engraçado

Porque

Não faz sentido

Não tem lugar

Nem lógica
Mas quando acontece

A química prova

Que não tem razão

Não tem

Apenas é
E do engraçado

Improvável

Acontece
Como aquela flor

Que nasce no lodo

E tem a beleza única
Assim

Somos nós
O que dura um toque

O sopro do perfume

O piscar do olhar
Assim

Sempre é
E você me deu

Ensinou

E fez entender
Na vida

Só se leva isso

O momento vivido

Anúncios

Palavras nas mãos

Padrão

letras.jpg

As palavras chegaram hoje
Eu tive elas em minhas mãos
Eu estive com elas diante de mim

Mas não
Elas não chegaram
Elas não tocaram
Elas não acessaram

Eu nem sabia
Que elas chegariam

Ou sabia….
Eu esperava ou não esperava…

Elas não tocaram lugar algum
Porque ao chegarem
A porta estava encostada
Mas lá dentro
Só tinha pó e mofo
Estava tudo lá
Sem ser mexido
Sem ser visto
Sem ser
Há muito tempo…

Elas chegaram
Eu li
Fiquei algum tempo processando
E nada…

Nunca imaginei
Ficar alheia
Não saber que elas poderiam
Apenas que por um instante
Não significar…

Então
Hoje
Eu deixo elas de lado

Vou viver a vida
E depois tentar entender
Como eu me deixei
Amargar e esvaziar…

Tão profundamente em mim.

Sentido a palavra

Padrão

morte passagem
Hoje falaram uma palavra

Daquelas que ouvimos diariamente

Corriqueiramente

Quase cotidianamente

Mas
O que houve de ser diferente
Hoje
Ela foi dita
Para mim…

E na minha referência
No meu lugar
No meu sentido

Ela caiu
Como a verdade
Que eu esperei
Pela vida inteira

Da verdade
Do que eu queria ter
Eu mesma queira ter escolhido

Mas a sabedoria
É muito maior
E compreendi
Que essas regras
Deste jogo
Eu sou apenas mais uma

E eu não tenho
O controle de nada

Nem do que eu achava que era meu

Porque descobri
Que na hora de ir
Não tem perguntas
Não tem motivo

A hora chega

E você simplesmente
Vai…

Fim

Padrão

morte veio me buscar

Hoje

Você tem que deixar tudo aqui

Não pode levar nada

Não pode dizer nada

Hoje é  o seu fim

Estamos te liberando

Para que você faça

O que quiser

Com a sua vida…

E lá no fundo…
Ouço uma risada engraçada
Querendo me dizer
Você que escolheu
Esperando o tempo certo
Para começar ela
Mas na verdade
A partida desse jogo
Começou há muito tempo atrás

E você ai
Esperando a autorização
O momento certo
O lugar….

E percebeu
Que não tem mais outra vez
Não tem mais outra chance
Não tem mais…

Hoje acabou.

E o que você fez dela?

Febre

Padrão

febre

De novo
Você aqui

Já é a terceira vez
E eu querendo entender
O que você quer de mim?

Acho que o problema é outro
Um lugar muito muito distante
Em uma vida vivida há muito tempo
Mas vivida nessa vida mesmo

O tempo passou
E esse eu esticou
Esticou para estar aqui
Mas nunca se soltou de lá

E agora fica
Desligada
Desencaixada
Desnorteada

Sem lugar
Sem sentido
Sem ser

Essa febre
É só o que há
E faz sentido
Porque não diz nada
Mas arde

Faz cada pedaço meu
Doer e não sentir
Não entender

Então
A vida agora é essa
Três dias de vida
Três meses de dor

Esperando
Quando um dia
Alguém vai entender
Me estender a mão
E finalmente…

Me levar…

Dormir

Padrão

janela
Você voltou

Não me lembro da última vez

Mas me lembro de você…

Sempre é assim

Nas horas estranhas

Nas horas desencaixadas

Nas horas imprevistas…

Você

Me oferece a exata medida
Do que e necessário
Do que é fato
Do que falta

Como se estivesse sempre ali
Esperando a hora certa

Não sei se é você
Não sei se sou eu
Não sei se há…

Mas digo
Essas noites
Tem motivos diferentes
Para querer estar lá

Você

Por favor
Venha sempre…

Venha mesmo sem eu pedir
Porque se for necessário
Você é sempre
A parte que faz sentido
A parte que tem sentido

Agora entendo
Você faz parte
Do todo…
E não da parte…

Cartas

Padrão

cartas1
Eu escrevia
Escondia
Lia
Relia
Guardava
Todas as palavras
Que eu nunca disse
Que eu nunca ousei
Te mandar
Guardei…

Elas começaram
A virar textos
Agendas
Um amontoado delas
Todas com lugar
Sentido e direção

Todas eram para você…

Mas esqueci
Apenas de saber
De perguntar
Ou entender

Você nunca pôde
Nunca soube
Não havia de compreender

Porque
Simplesmente
Porque

Você não sabe ler…