Amor

Padrão

amor1

Oi
Você nunca soube e nunca vai saber
Um dia eu te escolhi
Quis querer te

Dos olhares que se cruzaram
E da estranha sensação
De que um dia
Já houve nós dois

Daquelas certezas
Que não se explicam
Das coisas que a vida oferece
E a gente só pode agradecer

Da sua presença
Do seu sorriso
Do lugar que você ocupa
Em sí e na vida

Da leveza que existe
Quando você se faz presente

Do seu sorriso
O sorriso mais lindo
Do seu abraço
O melhor abraço

Das suas palavras
Que são enigmas
Que finjo não entender
Para deixar a conversa nos levar

Mas finjo não entender
Que você quer algo
Que não sei se poderei oferecer
Porque desta condição
Eu me recuso a pertencer

Então
Finjo não saber
Finjo não entender
Finjo não perceber

Dessa loucura
Me equilibro
E você acredita

Mas se não fosse assim
Eu prometo que aceitaria
Eu prometo que sim

Sim
Eu te daria meu mundo
Em troca do seu.

Anúncios

Tenha fé

Padrão

realeza

Seus olhos com lágrimas
Se esforçando para não chorar
Como se fosse um desafio maior
Ser forte acima de tudo

E quando você me disse
Que queria tanto
Sabia bem o que queria

Por um instante
Olhou para o chão e recuou
Dizendo que talvez…

E me fez pensar
Que não existem histórias erradas
Nem os tropeços são errados

E quando você lá atrás
Teve de recalcular a rota
E acabou se sentindo mal porque a vida
Criou novas alternativas

E você disse que talvez pudesse ser evitado

Mas já tinha tanta coisa para ser evitada
Segurando a barra da vida dos outros
E sendo a fortaleza do mundo lá fora

A vida te deu
O presente que faltava
Te colocou no lugar certo

E você mesma disse
Não há vida depois disso…

Então a verdade e a certeza é essa
De ganhar o presente que veio
De conhecer novos caminhos
E a certeza era essa

Quase um tombo
Mas que te fez levantar
No lugar certo
Na vida certa
Encaixada onde sempre foi o lugar certo

O lugar do amor!

Me esqueci (mas ouvi minha música predileta)

Padrão

jethru-tull

Estava dirigindo
Voltando de algum lugar
Não me lembro de onde eu estava vindo…

Com opções infinitas
Estava procurando minha
Única música predileta na vida

E o farol abriu
Eu achei a música
O dia ficava mais bonito
Enfim

Sem me dar conta
Dos caminhos repetidos
Das artimanhas estratégicas

Passei em frente ao seu lugar
Ele estava fechado
Hoje é segunda de carnaval

Me dei conta que eu
Faço esses caminhos todos os dias
Mesmo sem ser meu caminho
Como seu eu quisesse
Pudesse ter ou ver
Sentir ou maltratar meu coração

Mas hoje as portas estavam fechadas

E eu tinha me esquecido
Porque mesmo tudo isso

Do que eu queria
Do que eu sentia
Do que eu teria
Do que eu fazia

Procurei um lugar dentro de mim
Que pudesse dar sentido
Para o caminho
Para a lembrança

Eu não estava perdida
Mas o que me movia sim
Ou o que eu achava que movia

E pela primeira vez
Me senti livre
De não querer achar explicação
Procurar lembranças e entender
Que você estava vivendo ao lado de outra

Pela primeira vez
Eu me dei conta
Que eu não tinha repertório
Ou lugar
Para querer fazer você
Ter sentido
Ou até
Me machucar

Minha música predileta acabou

Coloquei ela de novo
Porque eu me dei conta
Afinal
Que novos caminhos
Pedem

Minha vida
Minha atenção
Meu respeito
Meu amor
E minha musica predileta de novo…

Perdi o sono

Padrão

insonia

Não dormi
Passei a noite toda
Me revirando na cama
Atormentada por pensamentos
Restos do que foi o dia
Do que foi a nossa conversa

E ainda não entendi
O que houve de ser
Ou que houve na fala

Mas sei que ainda estou
Desencaixada de tudo

O que aconteceu com você
Foi devastador
Foi absurdamente atormentador
Mas
O que houve comigo?

De alguma maneira cruel
E quase pragmática
Já era esperado
E maldosamente aguardado

Já sabíamos que isso ia acontecer
Eu já sabia?
Eu sabia sim…

E você desabou
E me mostrou seu lado humano
Eu lado atrás das caixas
Das palavras e do raciocínio

Do que você tem de melhor
Sua armadura

E sim
A história paralela havia de existir
E era muito bem vivida
E chegou ao seu ápide

E agora
Você
Olha tudo de baixo

Tudo aconteceu embaixo dos seus olhos
Embaixo de sua armadura

E agora

Respiro fundo e tento pensar

Porque eu não consegui dormir?

Das suas lágrimas

Padrão

meu-fim

Você me chamou
Depois de um tempo de silêncio
E me contou

Como doeu ouvir tudo isso

Da cabeça que girou
Do estômago que embrulhou
Dos olhos que não conseguiam te encarar
Eu simplesmente não consegui

E na fala descompassada
Ensaiada de explicações
Motivos e fazer sentido

Eu não conseguia te ouvir
Não conseguia te entender
Não tinha como prestar atenção

Porque sua dor inundou
E quebrou as barreiras
E me atingiu em cheio

Demorei algum tempo para entender
Que não era a sua dor
Mas a sua descoberta
Que me colocava diante
Do que eu estava evitando
Fingindo não saber e não querer

Mas que a desconstrução
E a descoberta
A revelação final
Também derrubou minha máscara

Desnudou minha alma
E me colocou diante
Da minha verdade também

E agora
Você percebeu
E agora
Eu não tenho mais como
Não tenho mais lugar

E em silêncio
Quando terminamos a noite
Volto
Rumo
A lugar algum

Lugar da minha origem
Do meu esconderijo
Das lembranças secretas
Da noite adormecida

E sim
Volto para lá
Para nunca mais sair

A sua verdade
É o meu fim.

Só cansei

Padrão

troco

Por tantos dias e tempos eu te esperei
Que você lembrasse de um dia
De ter algum tempo ou motivo
Para você estar ao meu lado

Por tanto tempo considerei
Esperei, inventei desculpas
Das mais esfarrapadas possíveis

E acredite em cada uma delas
Em cada uma das mentiras
Desculpas e bobagens
Para que a saudade de você
Não doesse tanto

E quando houvesse de haver
Nós dois
Houvesse de ser perfeito
E cada minuto aproveitado ao máximo

Como aquele café quente
Depois de um dia cansativo

Os primeiro raios do sol
Ao amanhecer de um dia de verão

Do abrir da embalagem
Do meu chocolate predileto

Mas eu não havia percebido
Que o tempo passou
E que essa desculpa já não servia
Não cabia mais

Porque eu me dei conta
Que cada espera era o prenúncio
Da minha distância de mim mesma

E hoje eu cansei
Cansei de uma maneira
Que silencia

E agora o café esfriou de vez
Eu não vou mais acordar cedo para ver o sol
Não vou guardar o chocolate para a melhor hora

Porque você perdeu
E não vale mais um centavo
Nem do troco de bala para mim

Porque demorei para entender
Que nunca foi
Nunca haverá de ser

E eu cansei de ser
O que resta
O que sobra
A última opção

E hoje
Eu não vou correr
Não vou mudar meus planos

E vou ficar comigo
Vou cuidar de mim
Vou dormir comigo
E definitivamente

Não dividirei mais
O que eu te dei inteiro
E você me devolveu metade.