Presente vazio

Padrão

amargo
Você me deu
O que falou que daria

Você veio
E fez o que era

Achei
Que seria diferente

Mas não tem diferente
Do que sempre é igual
Do que sempre foi
Do que você é

Nunca haverá de ser
Você diferente
Do que eu queria
Do que eu esperava
Do que eu achava

O lugar é meu
De achar
Esperar
Querer

Você tem
O que quer de mim
Nunca quis mais
Nunca quis menos
Sempre quis
O que é

E eu
Mudo as vírgulas
Os pontos
As exclamações

Fazendo o sentido
Do que eu quero que tenha
Do que eu quero que seja
Do que não
Não é nunca

Agora
Fico sem ar
Quando ele me falta
Sei que é

Na verdade
As palavras
Ausentes
Preenchem o pulmão
De vazio

Essa é a lógica…
Sempre foi, não é mesmo?

Anúncios

Fica…

Padrão

dormir
Hoje
Você dormiu aqui
Me acordou com um sorriso
Eu não conhecia sorrisos assim

Me abraçou
De um jeito
Que eu nunca experimentei

Me serviu café
Me serviu amor
Me serviu olhar

Disse que estava esperando
E que já estava aqui há tempos

Demorei para reconhecer
Que era você

Do lugar
Que eu jamais ousei
Do que eu nunca pensei
Do que eu nem sabia

Você me deu
O que era simples

Sem nada haver de trocar
Ou faltar
Ou cobrar
Ou ter
Ou ser…

Pediu licença
Acomodou-se
E chegou
Do lugar que sempre foi seu

Do que um dia houve de ser
Do lugar que eu achava ocupado
Do lugar que eu achava vazio
Do lugar que eu nem sabia
Que era meu

Chegou você

Um beijo na testa
E partiu…

Mas não me deixou
Não partiu meu coração

Deu-me
O que era meu
O presente
Da vida
Que eu mais esperava

E volta sempre
Porque aqui é seu lugar
Também….

O que eu procurava
Você achou
Em mim…
E me deu
Você.

Meus rastros

Padrão

rastros
Achei
O que eu nem sabia que estava
Achei
Que tinha jogado fora
Mas eu
Sendo eu
Sempre deixo um rastro
Um talvez
Um quem sabe…
Achei

Perdido
Mas bem escondido
Quando te prometi
E você me prometeu
E promessas
Aprendi
Que não devem ser
Nunca devem ser
Se não temos como garantir
Manter ou perpetuar
E elas estavam lá
Como se tivesse sido ontem
Vibrando
Ecoando
Reverberando
E sendo
O que são
E até hoje
Eu te prometi
E te espero
Meu amor…

Demorei para entender

Padrão

coração partido

Vem

Me dá

O que você quer

 

Me dá

O que você finge

Querer dar

 

Me diz

O que sempre diz

E eu ouço

Acredito

 

Quando percebe

Que algo é

Ou algo foi

Ou não foi

 

Não tenho coragem

Olho e provoco

Digo sem dizer

 

Acabou

 

Não te quero mais

Não é ausência

Sem motivo…

 

É ausência

Sentida…

 

Do sentido que um dia eu quis

Acreditei de verdade

Que poderia ser

 

Esqueci

Que nunca houve

 

Sempre eu te amo

Para outro alguém

Eu ouvindo as histórias

Todas…

De todas…

 

E que sempre cabe mais um…

Ou que você sempre espera

Para a próxima

O amor perfeito

 

Mas eu entendi

Que eu sou

Apenas a passagem

O lugar

De espera

 

Que nunca fica

Sempre passa

 

E agora eu escolho

Partir

 

Você já partiu

Então

Eu parto

De mim

De nós

Do que nunca será

Meu bem…

Me prometo

Padrão

mãos
Essa semana
Eu fui convidada
A deixar minha vida

Em um momento
Que há muito não experimentava
Tive de dar um tempo
Para ver o que estava acontecendo

E ao pedir ajuda
Uma moça entrou no quarto
E disse:
“Me entregue suas coisas”

E eu entendi
“Me entregue sua vida”

Demorei um tempo para compreender
Chorei
Me desesperei

Ela, com voz calma disse
“Acalme-se”

E nesse momento
Me dei conta
Que ela me pedia
O que eu não tinha
O que eu nem sabia que havia
E que sempre esteve lá

Respirei
O que foi possível respirar na hora

Entreguei

E ali
Começou
Uma nova história…

Não posso…

Padrão

pecado

Fingi que estava tudo bem
Que eu estava bem
No lugar de sempre
E fiz o que eu sempre fiz
Hoje eu fiz melhor
Nem sabia que havia melhor que isso
E houve
Eu fiz…
Mas do outro lado da porta
No lugar de sempre
A outra me esperava
E me olhava com piedade
Os olhos baixos eram o prenúncio
E me imploravam um lugar
Uma explicação
Me ordenavam…
Neste dia eu me dei conta
Que o limite entre a razão e o sentir
Entre o querer e o não querer
Entre a sanidade e a loucura
Entre te querer e fingir
Esses limites estão ultrapassados
E me dei conta que
Falta apenas mais um passo
Para eu cair na sua loucura
No desafio de sua falta
No que você quer de qualquer um
E agora quer de mim
Não tenho isso
Não posso te oferecer
Não posso cair em tentação
Pois minha queda será o fim
Do pouco que ainda resta
Até hoje…

Das palavras e escolhas

Padrão

chave

Eu só precisava saber o que dizer
Ou saber exatamente
Apenas exatamente
O que fazer

Daqueles dias que contamos
Regressivamente
Ansiosamente
No calendário

E chegou
Agora eu fico olhando para as paredes
Sentindo o coração bater forte

Mas nada
Nenhum movimento
Nenhuma palavra
Nenhuma intenção

Apenas fico olhando
Parada o dia que chegou de presente
E não tenho a menor idéia do que fazer
Com ele e com a minha vida nele

E o dia lá fora está tão lindo
Daqueles muito mais bonitos que os sonhados
Mas simplesmente não acontece
Não vai
Não liga

E daqui eu fico
Esperando que um milagre venha dos céus
E me tire desse entorpecimento
Dessa anestesia
Dese lugar de não existir
E não saber executar o desejo

Hoje

Talvez
Eu me obrigue e sair
Talvez eu consiga dessa vez…