Me deixou

Padrão

chuva

Aquele dia escuro

Você veio

E achei

Que seria

Colorido

 

Mas só tinha

O gosto amargo

Do que transbordava

 

Perguntou-me

O que era

E na verdade

Era espelho

Do que havia

Em si mesmo

 

Não tive coragem

Abaixei os olhos

Em silêncio

As palavras não saíram

 

Mas eu pensava

E você entendeu

 

Eu não te amo mais

 

Ficamos em silêncio

 

No final

Eu já sabia

Que você

Não havia lugar

Para mim

 

E quando teve lugar

Para você

Você chegou

Tarde…

 

E agora

Eu vou embora

Com as palavras

Não ditas…

 

Com tudo

O que eu sonhei

De você em minha vida

 

Minha fantasia

Meu carnaval

Minha vida

Você…

 

Acabou

No silêncio

No amargo

No cinza

Daquele dia

Que choveu

E molhou tudo

E levou

Você para sempre…

 

Anúncios

Vazio

Padrão

vazio

Eu achei
Por um tempo
Certo tempo até
Que você seria capaz
De me dar
O que ninguém deu

E abri
Te contei tudo
Abri o coração

E você
Abriu
Se abriu no coração

E me fez ver
Que eu te dei errado

De coração
Não mais há

E quando eu entrei
Abri
A porta

Mas
De saber
Sabiamos

Que vazio
Estava

E vai demorar

Mas tudo bem

Temos todo o tempo
Para fazer o que quisermos

Mesmo
Que não seja
Com a gente.

Um dia eu ainda deixo de ser legal… ah, esse dia é hoje

Padrão

Eu-não-fui.._medium

De novo você
Fazendo bobagem
Abusando da minha bondade
Na verdade abusando
Da minha gentileza

Mas fiquei pensando que talvez não seja você
Daquelas histórias que usamos para terminar
Não é você, sou eu
Mas nesta história
Sou eu mesma!

A responsável sou eu

De saber que você usou meu nome
Meus conhecimentos
Manipulou o jogo
Para fazer seu desequilíbrio ter lugar

E me pediu ajuda
Eu te dei
Te ajudei
Você recusou
Me pediu nomes
Eu te dei
Me pedi de novo
Eu já tinha te dado
E você me diz que tinha o direito
De não ir
E eu te respondi
Que eu tinha o direito
De não te dar mais nome

Eu sei que te atingi…
E daqui para frente será meu silêncio…

Daqui para frente eu não me importo mais!
Você pediu
E eu te dou esse lugar

Na outra história
Eu nem suspiro mais
Nem me abalo mais
E senti pena

Justo eu que nem sei sentir isso
Senti pena de você

E meu silêncio neste caso será perigoso
Porque eu demoro a responder
Mas quando respondo rasga

E agora
Você tem uma dívida comigo
E pior
Tem uma dívida com alguém
Que eu jamais ousaria desafiar

Sei que pagarei o preço
Mas desta vez
Eu deixarei você
Perdida…

Daqui para frente eu não me importo mais!
Você pediu
E eu te dou esse lugar
Silêncio.

Silêncio

Padrão

mascara-1

Você não me ligou mais
Não me mandou nenhuma mensagem
Não curtiu nada

E agora não sei nem seus horários
Seus hábitos
Seus lugares
Onde você se esconde
Com quem você está

Tudo são apanhados
Que eu caço
No silêncio
Na ausência
E na loucura
Que meu coração me conduz

De que lugar estou falando?
De que sentimento me esquivando?
Da vida que foi

E que é

E sempre será desse jeito
Por circunstâncias

Que nunca haverá de haver
Nós dois

Porque você me diz que o que há
Basta

Basta ao que?
Basta a quem?
Serve…

Do interminável Plano B
Que não serve de nada
Pois nunca me colocará
No lugar da atriz principal

Serei sempre
Aquela
Dos bastidores

Quando as cortinas se fecham
As luzes se apagam
E o espetáculo
Silencia.

Das contas que não fecham

Padrão

banco-no-mar

Não sei mais jogar
Esse joguinho de ir e vir
De querer e fingir que não quer
De ser e fingir que não sei
Não ser?
Não sei…

E ai você me diz que tá tudo bem
Seu silêncio me diz que está tudo bem
Mas suas palavras
Quando se apresentam
Me confundem

E me dei conta
Da conta
Que não fecha
Mas não brincar com números

Não sei brincar com pessoas
No final das contas
Não sei fazer contas
Das palavras
Que as pessoas dizem

E não sei fazer sentido
Do sentido que você dá
Do sentido que você me dá
Das palavras que você diz
E do que eu não entendo

E seu silêncio me conforta
Mas me tira do eixo
Do que eu pretendia
Do que eu achava que entendia
Do que não fechava

Tudo bem
E agora eu fico me equilibrando
Das palavras que você me disse
E que me cortaram

E agora finjo que está tudo bem
Mas se estivesse tudo bem
Não iria doer

E eu não ia ficar tentando me equilibrar
E fingir que está tudo bem
Que você nem se dá conta que não está

Mas não sei se você se importa
Porque o seu silêncio me diz isso

Está tudo bem.

Está?

Oi?

Padrão

ok

O que passa na sua cabeça?
Das palavras que eu digo
Que fico montando esse quebra-cabeça
Fazendo joguinho de palavras
Da sopa de letrinhas

Ou escolhendo a dedo
As letras que vou digitar
Para te mandar uma mensagem

“Oi”
Que leva toda a minha saudade
Meu desejo
Meu querer
Em te ver
Te ter
Teu ser
Meu ver
Meu ter
Meu

Que é lido
E visualizado
E silenciosamente
Pensado
E entendido
E significado

De significados
Da significância

Lacan me ajuda…

E você responde

“Oi”

E dai em diante

Mas um universo
Se abre e apresenta

Das minhas palavras
Da imaginação
Devoradora
Devastadora
Cruel
Ou
Delicada

De tudo o que eu posso dizer
Mas que não pode mais ser o Oi

Porque já fomos apresentados
Já sabemos isso tudo de cór

Sabemos mesmo?