Estava certo…

Padrão

nota 2

Você me procurou
E meu coração assustou
Não bateu forte
Só ficou sem entender

Desconfiei
Porque as coisas não são
Nunca foram
Nunca serão assim

Me fiz de besta
Deixei você me enrolar
Para ver até onde iria

Já fiz graduação
Sei como são essas histórias

Eu já quis tanto
Um dia eu fiz isso

Cuidei do jeito que era
Do que eu acreditava
Eu achei que poderia
E a vida me mostrou que não

Você chega com a mesma história
Mas esqueceu de perguntar
Se eu tinha diploma

Sim
Eu tenho diploma
E fui além
Quando provoquei
Para ver até onde iria

E deu certo…

Mas eu sinto muito
Não vou te cuidar
Não vou te oferecer
Não posso cair nessa
E nem quero…

Sabe por que?

Porque você não vale
Não vale a pena
Não vale o risco
Você não vale nada nem para você…

Anúncios

Valor? Valor do quê?

Padrão

riqueza

Eu nem sabia que ainda dava para sentir

Eu sabia
Eu sentia
Eu achei
Que por um instante
Poderia estar enganada

Mas foi tiro e queda

Cai de novo
Me contrarie
Me passei para trás

E algo na alma dizia
Vai dar merda…

Mas eu quis ser a queridinha
Fazer a boa samaritana

Mas hoje é seu fim
No fim do que nunca houve de haver
Se é que você tem capacidade para compreender

Da vidinha que você escolheu
Do Universo que você dá as costas
E fica procurando em quem se apoiar
Na verdade em quem abusar
Para usar a sua vida
E deixar quem tem
Se sentindo mal

Hoje eu dedico
Esse texto a você

E da lata do lixo
(Desculpe lata do lixo)
Será o máximo que você poderá ter

Porque escolheu esse lugar
Na sua vida
Nas suas conquistas
No seu coração

Então
Nem neste lugar
Você poderá ter
Da minha vida
Do meu tempo
Dos que comigo estão
E do valor que eu tenho
E você não pode pagar

Verdade
Você nem sabe o significa
A palavra: Valor.

Um dia eu ainda deixo de ser legal… ah, esse dia é hoje

Padrão

Eu-não-fui.._medium

De novo você
Fazendo bobagem
Abusando da minha bondade
Na verdade abusando
Da minha gentileza

Mas fiquei pensando que talvez não seja você
Daquelas histórias que usamos para terminar
Não é você, sou eu
Mas nesta história
Sou eu mesma!

A responsável sou eu

De saber que você usou meu nome
Meus conhecimentos
Manipulou o jogo
Para fazer seu desequilíbrio ter lugar

E me pediu ajuda
Eu te dei
Te ajudei
Você recusou
Me pediu nomes
Eu te dei
Me pedi de novo
Eu já tinha te dado
E você me diz que tinha o direito
De não ir
E eu te respondi
Que eu tinha o direito
De não te dar mais nome

Eu sei que te atingi…
E daqui para frente será meu silêncio…

Daqui para frente eu não me importo mais!
Você pediu
E eu te dou esse lugar

Na outra história
Eu nem suspiro mais
Nem me abalo mais
E senti pena

Justo eu que nem sei sentir isso
Senti pena de você

E meu silêncio neste caso será perigoso
Porque eu demoro a responder
Mas quando respondo rasga

E agora
Você tem uma dívida comigo
E pior
Tem uma dívida com alguém
Que eu jamais ousaria desafiar

Sei que pagarei o preço
Mas desta vez
Eu deixarei você
Perdida…

Daqui para frente eu não me importo mais!
Você pediu
E eu te dou esse lugar
Silêncio.

Porque tem de ser

Padrão

porquinho

Sabe

Eu não vou mais te mandar mensagem
Não vou perguntar se está tudo bem
Não vou mostrar que me importo
E que penso em você

Não vou te convidar para um café
Não vou te chamar para um almoço
Nem vou te dar brechas na minha agenda
Para você não responder e não aparecer

E depois de tempos de silêncio
Mandar uma mensagem de Saudades
Ou quanto tempo não te vejo

De repente
Meu coração esvaziou
Para todos
E para você também

E hoje eu entendo
Do que é mesmo tudo isso
Porque hoje eu não tenho nada
E não posso de ofertar vantagens

Hoje eu só tenho eu
E o que restou
E o que eu sou

Talvez isso não seja suficiente
Nem nunca foi
Mas antes valia algo

Então
Me reconsidero
Me retiro
Me reavalio

Vou embora
Para outros lugares
Outros encontros
Outras amizades

E se você não vir minha foto
No aplicativo
Tenha certeza
Agora você faz parte
Do mesmo lugar que me deixou
Quando eu deixei de ter valor
Para você…

Você tem razão

Padrão

coracao-bandaind

Você falou
Me fez pensar
Refletir
E bagunçou
Tudo o que eu tinha arrumado
Organizado direitinho
Para não doer
E continuar fazendo sentido

Foi lá
Meteu o dedo na ferida
Pediu para eu ser forte
Me colocar no lugar certo

Buscar o que haverá
Não ou que houve
O que eu acho que há

Porque não há nada
Não há nada
Que nunca houve

Do seu cuidado em me dizer
Que a rua é sem saída
O caminho é perigoso
A história é vazia

Eu te peço mais tempo
Mas não é para você
E não se trata de tempo
Se trata de valor

Do valor que você quer que eu reconheça
Do valor que você quer que eu me aproprie
Da vida que você vê além de mim
E para mim

Como uma mãe cuidadosa
Que quer o melhor para o seu filho
Você me ofereceu esse conforto
Essa olhar e essa certeza

Do lugar que eu jamais pensei
Ou ousei estar
Você me diz
Com a certeza da vida

Vá!

E hoje
Eu aceito
E me permito
Ir

Dos primeiros passos
Como aprendendo a caminhar
Eu me vejo
Nesta estrada
E me dou conta

Você tem razão.

Desembrulho

Padrão

you-me

Você me deu de presente
O que estava em dívida
Ou que você me devia
De uma certa forma

Aceitei o seu presente
De maneira dissimulada
Ou para ver até onde
Tudo isso havia de terminar

E nos encontramos
E esse encontro
Outros desencontros
Que faziam sentido

Mas eu não
Desde a hora que cheguei
Me perguntei
O que eu fazia lá

E de uma certa maneira
Me arrependi
De ter aceito
O que você me ofereceu

Não por nada
Mas não havia de ser

E seu esforço
Foi louvável
Mas o meu interesse
Dissimulado

Não valeu a troca

E no final das contas
Eu acabei te devendo

A minha sinceridade
O meu respeito
E o meu valor

Por algo que no final das contas

Desencaixou

Eu te dei um valor
Você me devolveu amor

Esse é o final triste

Eu não sei aceitar
O que você me deu.

Já foi

Padrão

carlos-drummond-de-andrade

Daquela saudade que sinto
Como a saudade dos amantes
Que não podem falar
Que não pode sentir
Que ninguém pode saber

Do desencaixe
Que silenciosamente
Destrói minha paz

E sangra
Dentro da minha armadura

Da saudade da vida
Que um dia houve de ser

E foi arrancada
Sem direitos
Sem poderes

Simplesmente arrancada

E da dor
De não poder chorar
De não poder sentir
E calar
O sentimento
As lágrimas
E o coração

De saber
Que ele sangra
E diariamente
Encoberto

Com meu sorriso
Mais estranho
Minhas palavras
Monosilábicas

Do bom dia
Do boa tarde
Do boa noite

E da vida que passa
E cada vez se afasta
Do que houve

E das lembranças
Que se misturam
A imaginação
Ao desejo da possibilidade
E se…

E assim a vida
Caminha para o fim

Da vida que se apresentará
Mas é vivida
Por protocolo

Pois nunca trará
O que foi arrancado

A inocência
O querer
A pureza

O que resta
E o que vale a pena

Se nesta vida
Não mais haverá
De ter

O que foi…